Covid-19. DGS confirma que 12.º caso suspeito de coronavírus em Lisboa deu resultado negativo

Trata-se de uma criança regressada da China, que foi encaminhada para o Hospital Dona Estefânia, em Lisboa. Resultado deu negativo.

DR

As análises efetuadas à criança que esteve na China e que foi apontada como portadora suspeita do Codvid-19, esta terça-feira, deram negativo segundo o comunicado da Direção-Geral de Saúde.

“A Direção-Geral da Saúde (DGS) informa que o 11.º caso suspeito de infeção por novo Coronavírus (COVID-19), uma criança que foi hoje encaminhada para o Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar e Universitário de Lisboa Central, resultou negativo após realização de análises laboratoriais pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), com duas amostras biológicas negativas”, lê-se no comunicado emitido esta tarde.

Este 12.º caso validado pela DGS trata-se de uma criança regressada da China que foi encaminhada para o Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, a unidade é o Hospital de Referência Pediátrico para estas situações.

A criança foi internada para serem realizadas colheitas de amostras biológicas para análise pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA).

Todos os casos de infeções suspeitas em Portugal anunciadas pela Direção-Geral da Saúde deram negativo. Nesta segunda-feira a DGS anunciou mais dois casos suspeitos, o décimo e o décimo primeiro. Nos dois casos, o teste deu negativo.

A Comissão de Saúde da China disse que o número de infetados pelo Covid-19 ascendeu a 72.300 e que até hoje foram registadas 1807 mortes. Entre os novos casos, 1.933 são da província de Hubei, centro do surto.

Ler mais
Recomendadas

Filipe Froes: “Todos vamos ter de usar máscara”

O médico pneumomologista e intensivista diz que ainda é cedo para abrir escolas e aliviar medidas e defende a realização de mais testes no país e alerta que há muitas perguntas por responder sobre a imunização.

Centro Europeu de Doenças admite uso generalizado de máscaras em locais com muita gente

É o caso de centros comerciais e supermercados, quando se usa os transportes públicos e em certas procissões, como os elementos das forças de segurança e comerciantes que atendem ao público, se não estiverem por detrás de um vidro/acrílico de proteção.

Covid-19 já causou mais de 87 mil mortos no mundo

Os Estados Unidos registaram até às 05:30 desta quinta-feira 432.132 casos e 14.817 mortes e é o país onde a pandemia está a progredir mais rapidamente.
Comentários