Covid-19: Empresas nacionais unem-se em plataforma digital e apoiam hospitais públicos

Grupo de empresas criaram o ‘Movimento Eu Apoio a Produção Nacional’ e o site consumirportugues.pt para promover o consumo de produtos nacionais. Dez por cento do valor das vendas reverterá para os hospitais de Santa Maria e de São João.

Um conjunto de empresas nacionais, desde produtores de vinhos e cerveja, passando por joalheiros ou outros produtos de artesanato e design, decidiram unir-se na plataforma digital consumirportugues.pt para promover o consumo de produtos portugueses e fazer face ao surto de coronavírus.

“O movimento ‘Eu Apoio a Produção Nacional’ reúne num site – consumirportugues.pt – o acesso às lojas online de vários produtores, onde cada um tem disponível um produto ou pack solidário, com dez por cento das vendas dos produtos definidos a reverter para os hospitais públicos de Santa Maria (Lisboa) e de São João (Porto). HLC Joalharia, Sanjo, A&D Wines, Sovina, Martine Love, +351, Cerveja Letra, Companhia das Cestas, José Maria da Fonseca, Topázio 1874, Joana Mota Capitão Jewellery, Victoria Handmade, Licor Orangea, Isto e Quinta do Paral são já algumas das marcas nacionais que entraram neste movimento solidário”, sublinha um comunicado deste conjunto de produtores.

De acordo com estes empresários, “num contexto Covid-19, o ‘Movimento Eu Apoio a Produção Nacional’ quer manter dinâmica a economia promovendo o consumo de produtos nacionais e, ao mesmo tempo, ajudar os hospitais que estão na linha da frente no combate à pandemia”.

“Em período de quarentena, e com as limitações impostas pelo Estado de Emergência, muitos dos produtores nacionais viram os seus principais canais de escoamento encerrados”, conclui o referido comunicado, apontando esta plataforma digital como uma das soluções encontradas para minorar o impacto negativo da pandemia.

Recomendadas

“Não há solução perfeita ou indolor para a TAP”, diz confederação de turismo

O turismo em Portugal preocupa em queda de receitas e aumento de desemprego, mas o líder da CTP acredita na retoma. Defende a prorrogação do ‘lay-off’ e uma campanha de promoção interna.

Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

PremiumMontepio Crédito defende CFEI para capitalizar empresas

Pedro Gouveia Alves realça que este instrumento de crédito fiscal já deu provas positivas em 2014. Autonomia financeira do setor ronda apenas os 20%.
Comentários