Covid-19. Governo vai declarar estado de alerta. Forças de segurança em estado de prontidão

A decisão foi tomada em Conselho de Ministros que acabou depois da meia-noite desta sexta-feira. Viagens de finalistas vão ser adiadas. Governo garante que não vai faltar comida nas prateleiras dos supermercados. Saiba quais são as nove medidas que vão impactar toda a sociedade portuguesa.

Cristina Bernardo

O Governo anunciou hoje que o Ministério da Administração Interna e o Ministério da Saúde vão declarar o estado de alerta em todo o país, colocando os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

A decisão foi tomada em Conselho de Ministros que acabou depois da meia-noite desta sexta-feira.

O Conselho de Ministros decidiu ainda tomar “diversas medidas de organização e funcionamento dos
serviços públicos e outro tipo de estabelecimentos”:

  1. A suspensão de todas as atividades letivas e não letivas presenciais nas
    escolas de todos os níveis de ensino a partir da próxima segunda-feira dia
    12 de março;
  2. A organização dos serviços públicos, nomeadamente o reforço dos serviços
    digitais, o estabelecimento de limitações de frequência para assegurar
    possibilidade de manter distância de segurança e a centralização de
    informação ao cidadão sobre funcionamento presencial de serviços;
  3. A aceitação, por parte das autoridades públicas, e para todos os efeitos
    legais, da exibição de documentos cujo prazo de validade expire durante
    o período de vigência do presente decreto-lei ou nos 15 dias
    imediatamente anteriores ou posteriores;
  4. A restrição de funcionamento de discotecas e similares;
  5. A proibição do desembarque de passageiros de navios de cruzeiro, exceto
    dos residentes em Portugal;
  6. A suspensão de visitas a lares em todo o território nacional;
  7. Os centros comerciais e supermercados vão estabelecer limitações de
    frequência para assegurar possibilidade de manter distância de segurança;
  8. Adiadas viagens de finalistas, agências de viagens obrigadas a fornecer viagens noutras alturas;
  9. Governo vigia cadeias de estabelecimentos para garantir que a comida não falta nas prateleiras de supermercados. “Temos estado a trabalhar com operadores de logística e de distribuição. As cadeias de abastecimento serão mantidas”, garantiu o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.
Relacionadas

Pais que fiquem em casa a tomar conta de filhos vão ter direito a remuneração parcial

Atualmente, a lei só contempla que os pais de crianças infetadas/suspeitas têm direito a ficar em casa recebendo parte do salário, mas não prevê nenhum apoio para os pais de crianças que fiquem em casa por a escola estar fechada.

Governo decreta encerramento de discotecas, e menos pessoas nos restaurantes, centros comerciais e serviços públicos

O primeiro-ministro anunciou também os passageiros de navios de cruzeiro não podem desembarcar e que as visitas a lares de idosos vão ter limitações.

Costa : Dois milhões de alunos em casa a partir de segunda-feira durante quatro semanas. Medida reavaliada a nove de abril

O primeiro-ministro anunciou hoje a decisão ao país depois de ter ouvido os líderes partidários ao longo do dia sobre a crise do coronavírus em Portugal. As escolas só poderão voltar a abrir, na melhor das hipóteses, no dia 13 de abril, depois da Páscoa.

Covid-19: Encomendas das farmácias aumentam, distribuidores otimizam gestão de stocks

As encomendas de medicamentos estão a aumentar devido ao surto de Covid-19, o que obrigou os distribuidores farmacêuticos a adotar medidas de gestão de stocks.
Recomendadas

Exportações agroalimentares sobem 0,4% até junho para 3.285 milhões de euros

Só em junho, as exportações progrediram 5,2% para 552 milhões de euros, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, enquanto as importações recuaram 0,7% para 801 milhões de euros.

Processamento de vistos nacionais volta a estar disponível

O Ministério dos Negócios Estrangeiros confirmou ainda que o serviço para pedidos de visto nacionais pode ser feito nas “línguas portuguesa, inglesa, francesa, russa e ucraniana”

“Julho evidencia travagem na recuperação das viagens e do turismo”, alerta a EY/Parthenon

A quarta edição do “Caderno de Notas” da EY/Parthenon, sobre “A crise económica da Covid-19” – divulgada esta sexta-feira, 7 de agosto – um trabalho elaborado com a supervisão e direção científica de Augusto Mateus, strategic consultant da EY Portugal, traça a análise da crise económica ao quinto mês da pandemia.
Comentários