Covid-19: Pandemia já matou mais de 680 mil pessoas em todo o mundo

Os Estados Unidos são o país mais afetado tanto em termos de vítimas mortais como de infeções, com 153 mil 314 mortes e 4,5 milhões de casos, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins.

A pandemia da Covid-19 já matou pelo menos 680 mil e 14 pessoas em todo o mundo e infetou 17,6 milhões desde dezembro, refere o último balanço feito pela Agência France-Presse (AFP) com base em dados oficiais.

Do total de casos de infeção oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o final do ano passado, pelo menos 10,1 milhões foram considerados curados.

O número de casos diagnosticados só reflete, no entanto, uma fração do número real de infeções, já que alguns países testam apenas casos graves, outros fazem os testes para rastreio e muitos países mais pobres têm capacidade limitada de fazer teste.

Na sexta-feira, foram contabilizadas 6 mil 469 novas mortes e 286 mil 453 novos casos de Covid-19 em todo o mundo.

Os países que registaram mais mortes nos seus últimos relatórios de balanço foram os Estados Unidos, com 1.442 novas mortes, o Brasil (1.212) e a Índia (764).

Os Estados Unidos são o país mais afetado tanto em termos de vítimas mortais como de infeções, com 153 mil 314 mortes e 4,5 milhões de casos, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Pelo menos 1,4 milhões de pessoas foram declaradas curadas no país.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 92 mil 475 mortos e 2,6 milhões de casos, o México, com 46 mil 688 mortos e 424 mil 637 casos, o Reino Unido, com 46 mil 119 mortos e 303 mil 181 casos, e a Índia com 36 mil 511 mortos e 1,6 milhões de casos.

Entre os países mais atingidos, a Bélgica é a que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 85 mortes por cada 100 mil habitantes, seguida do Reino Unido (68), de Espanha (61), do Peru (58) e da Itália (58).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 84 mil 337 casos (45 novos nas últimas 24 horas), incluindo 4 mil 634 mortes e 78 mil 989 recuperações.

A Europa totalizava 210 mil e 200 mortes e 3,1 milhões de casos às 11h TMG (12h em Lisboa), enquanto a América Latina e as Caraíbas registavam 197 mil 544 mortes e 4,8 milhões de casos.

Os Estados Unidos e o Canadá contabilizavam 162 mil 278 mortes e 4,6 milhões de casos, enquanto na Ásia se somavam 62 mil 779 mortes e 2,8 milhões de casos.

O Médio Oriente contabilizava 27 mil 321 mortes e 1,1 milhões de casos, África tinha 19 mil 660 mortes e 929 mil 326 casos e Oceânia 232 mortes e 18 mil 995 casos.

Esta avaliação foi realizada usando dados recolhidos pela AFP junto das autoridades nacionais de saúde e com informações da Organização Mundial da Saúde.

Ler mais
Recomendadas

França pede à UE que sancione os EUA por causa de disputa comercial que envolve Airbus

“Uma coisa deve ficar muito clara para todos. Se as sanções dos EUA forem mantidas e não chegarmos a um acordo global entre os Estados Unidos e a UE, o que queremos e solicitamos novamente à UE é que se deve preparar para responder com sanções também “, disse um governante francês.

Kamala Harris estreia-se em campanha: “Temos um presidente que se preocupa mais consigo do que com as pessoas”

Além das criticas a Donald Trump, Kamala Harris destacou que Joe Biden é “a única pessoa que serviu ao lado do primeiro presidente negro, e escolheu a primeira mulher negra como sua companheira”

Estados Unidos querem assinar acordo com a Eslovénia para excluir Huawei do desenvolvimento do 5G

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Eslovénia anunciou que o ministro Anze Logar vai assinar uma declaração conjunta com o secretário de Estado norte-americano “sobre a segurança da rede 5G”.
Comentários