Covid-19: Procter & Gamble Portugal vai doar 450 mil euros à Cruz Vermelha

Além de 250 mil euros em dinheiro para apoiar a Cruz Vermelha, a empresa decidiu doar mais 200 mil euros de 38 mil produtos das suas marcas, que se irão destinar a profissionais de saúde e famílias carenciadas.

A Procter & Gamble (P&G) Portugal e as suas marcas decidiram juntar-se ao movimento ‘#EuAjudoQuemAjuda’ da Cruz Vermelha para aliviar os efeitos da Covid-19

Desta forma, a P&G Portugal e as suas marcas acabam de contribuir com 250 mil euros para ajudar a organização humanitária a apoiar profissionais de saúde e unidades hospitalares. Adicionalmente, a companhia vai doar mais de 38 mil produtos das marcas Dodot, Pantene, h&s, Gillette, Evax, Tampax, Fairy e Neoblanc no valor de cerca de 200 mil euros.

Assumindo-se como um dos maiores anunciantes em Portugal, a P&G oferece também espaços publicitários das suas marcas para promover a campanha de sensibilização da Cruz Vermelha.

“A Procter & Gamble (P&G), detentora de marcas como Ausonia, Dodot, Fairy, Gillette ou Pantene, acaba de anunciar medidas para apoiar os esforços nacionais de combate à Pandemia Covid-19, em especial profissionais de saúde na linha da frente, contribuindo com 250 mil euros para a compra de material hospitalar e de proteção individual”, garante um comunicado da empresa, acrescentando que se vai associar ao movimento ‘#EuAjudoQuemAjuda’, promovido pela Cruz Vermelha Portuguesa, “com vista a apoiar os profissionais de saúde e unidades hospitalares, através do financiamento de iniciativas, projetos e operações na área da saúde, bem como do apoio humanitário no quadro da prevenção e controlo da pandemia Covid-19”.

A mesma nota assinala que, também em parceria com a Cruz Vermelha, a divisão portuguesa da multinacional P&G vai “entregar mais de 38 mil produtos das marcas Dodot, Pantene, h&s, Gillette, Evax, Tampax, Fairy e Neoblanc, num valor total estimado de 200 mil euros, que se destinam a apoiar profissionais de saúde e famílias carenciadas”.

“Desde o início desta crise, a P&G redobrou os seus esforços para manter a produção, distribuição e disponibilidade dos seus produtos aos consumidores. Nestes tempos complexos e sem precedentes, as suas marcas permitem que as pessoas mantenham as suas pequenas rotinas – como escovar os dentes, lavar os cabelos, manter a casa limpa ou mudar a fralda do seu bebé – proporcionando-lhes uma sensação de normalidade e bem-estar no dia-a-dia”, salienta o referido comunicado.

O documento em questão adianta que, “além disso, a companhia e suas marcas estão também mais atentas às necessidades das pessoas mais vulneráveis e em risco de exclusão, que continuam a exigir apoio”.

“Essa ajuda está a ser distribuída através dos canais e parcerias já estabelecidos com diferentes ONG [Organiações Não Governamentais] e associações”, conclui o comunicado da P&G Portugal.

 

 

Ler mais
Recomendadas

Crédito às empresas recua em outubro

Em setembro, stock de empréstimos às empresas tinha atingido o máximo desde junho de 2018, ao situar-se perto dos 72.149 milhões de euros.

Nearshoring vai crescer acima dos 10% em 2021

A exportação de serviços nos contact centers deverá crescer acima dos 10% em 2021 e por isso bem acima da média nacional, segundo conclui a Associação Portuguesa de Contact Centers (APCC).

DBRS alerta: Impasse político em Portugal cria incerteza no capital do Novo Banco

“Esta notícia foi inesperada e representa desafios para o Novo Banco, pois cria incerteza para o capital do banco e o plano de redução de riscos em andamento, além de aumentar o potencial de litígio”, refere a agência de rating.
Comentários