Crédito ao consumo cai 10% em novembro para 651,2 milhões

No entanto, na comparação anual face a novembro do ano passado o crédito ao consumo está a aumentar. O montante concedido em crédito ao consumo subiu 2,5% num ano.

Os dados do Banco de Portugal revelam que os bancos deram menos 10,1% de crédito ao consumo em novembro face a outubro.

Entre Crédito pessoal, Crédito automóvel, e Cartões de crédito, Linhas de crédito, Contas correntes bancárias e Facilidades de descoberto, os bancos deram em novembro 651,2 milhões de euros, o que significa uma queda face a outubro onde estes créditos somavam 726,9 milhões de euros.

Esta queda é explicada pela redução do crédito pessoal para Educação, Saúde, Energias Renováveis e Locação Financeira de Equipamentos, de -18,6%. Mas também pela queda  do crédito automóvel para a compra de carros novos, com com reserva de propriedade (-20,2%) e de Locação Financeira ou ALD (-17,0%).

O banco central sinaliza que em termos de montante o crédito pessoal subiu em novembro 11,7% face a outubro, para 309 milhões. Mas o crédito automóvel caiu 5,3% para 238 milhões e os cartões de crédito e descoberto bancário recuaram 3% para 104 milhões de euros.

Em termos de número de contratos de crédito pessoal, celebraram-se mais 4,6% em novembro, ou 46.756 contratos. No crédito automóvel os contratos caíram tal como o montante concedido (-3,8% para 16.489 contratos) e o cartões e descobertos bancários subiram em número (apesar da queda do montante) 6,7% para 87.822 unidades.

No entanto, na comparação anual face a novembro do ano passado o crédito ao consumo está a aumentar. O montante concedido em crédito ao consumo subiu 2,5% num ano.

No que se refere ao número de contratos, em novembro houve uma queda de 1,1% para 151.067 contratos ao passo que face ao ano passado, no mesmo mês, registou-se uma subida de 4,8%.

Num ano o crédito que mais subiu foi o crédito cuja finalidade é Educação, Saúde, Energias Renováveis e Locação Financeira de Equipamentos (19,6% em montante para 10,8 milhões de euros) e em número de contratos (+35,6% para 2.679 contratos).

Já o que mais caiu foi o crédito para a compra de carros novos, quer em montante, quer em número de contratos. A locação financeira ou ALD de carros novos caiu -19,6% num ano para 25,4 milhões de euros. Já o crédito automóvel para carros novos com reserva de propriedade desceu num ano -17,1% para 50,3 milhões de euros.

Os carros novos foram também alvos de menos contratos de crédito em ALD e com reserva de propriedade, -17,1% e -15,4%, respetivamente.

No mercado do crédito aos consumidores ocorre, por vezes, a concessão de crédito com subvenção por sociedade não financeira. Em novembro a proporção de novos contratos de crédito aos consumidores com subvenção fixou-se em 3,1%, sendo o maior peso verificado na Locação Financeira ou ALD de carros novos (+47,2%).

 

Ler mais
Recomendadas

Lucros do Commerzbank afundam 76%. Dívida da Wirecard pesou mais que a Covid-19

Uma das especificidades dos resultados do banco alemão, é que registou mais perdas com o write-off do crédito da Wirecard do que com as provisões para a Covid-19. O write-off (imparidades a 100%) da dívida da fintech de tecnologia que colapsou somou 175 milhões de euros, acima das provisões constituídas para os efeitos da pandemia que, no segundo trimestre, foram de 131 milhões.

Banco francês Natixis tem um novo CEO

Nicolas Namias é o novo CEO da Natixis a nível global e sucede no cargo a François Riahi, que foi repentinamente substituído depois do banco ter apresentado prejuízos no segundo trimestre.

DBRS diz que banca espanhola vai aumentar as imparidades para crédito nos próximos trimestres

O Santander apresentou os primeiros prejuízos em 160 anos. O BBVA registou perdas de 1.157 milhões no semestre. Todos os bancos que tiveram lucros viram os resultados caírem. É o espelho da crise Covid-19 na banca. A DBRS analisou sete bancos (incluindo o CaixaBank, dono do BPI) e diz que nos próximos trimestres ainda vai ser pior. As receitas estão em queda. Mas o balanço está a aumentar.
Comentários