Crédito habitação: Juros voltam a cair oito meses depois

Este valor representa uma ligeira descida de 1,0 pontos percentuais face ao registado no mês de junho. (1,087%). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro passou dos 1,305% para os 1,306%.

As taxas de juro no crédito à habitação registaram uma descida após sete meses consecutivos em crescimento situando-se no mês de agosto nos 1,077%, menos 1,0 pontos percentuais face ao verificado no mês anterior (1,081%), de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quinta-feira.

Já no que diz respeito aos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro passou dos 1,305% para os 1,306%.

Quanto ao capital médio em dívida para a totalidade dos contratos verificou-se um aumento de 102 euros face ao mês anterior, fixando-se nos 53.056 euros. Para os contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida fixou-se nos 102.155 euros, mais 1.500 euros do que em julho.

Considerando a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação vencida desceu um euro, de 248 para 247 euros.
Deste valor, 48 euros (19%) correspondem ao pagamento de juros e 199 euros (81%) a capital amortizado. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação aumentou cinco euros, para os 333 euros.

Recomendadas

Vai abastecer? Amanhã baixa o preço dos combustíveis

Depois de na semana passada o preço do gasóleo permanecer inalterado, esta semana desce 0,5 cêntimos, acompanhado por uma queda de 1,5 cêntimos no preço da gasolina. Saiba onde encontrar os postos mais económicos.

Apenas 21% dos portugueses reforçaram contas poupança no último ano, diz Cetelem

Os hábitos de poupança dos portugueses mantiveram-se no último ano. “Estarem atentos a promoções ou levar almoço para o trabalho são pequenos gestos que fazem já parte do dia a dia de muitos portugueses”, acrescenta o estudo.

Quem são os beneficiários da vacina contra a gripe

Algumas pessoas têm direito à vacina da gripe, disponibilizada gratuitamente no Serviço Nacional de Saúde, sem necessidade de receita médica. Para a receberem basta dirigirem-se aos centros de saúde.
Comentários