Crioestaminal investe na Investigação & Desenvolvimento

A Crioestaminal, laboratório de criopreservação líder em Portugal e um dos maiores da Europa, investiu cerca de 10% do seu volume de negócios em Investigação & Desenvolvimento (I&D).

Mariana Bazo / Reuters

A empresa tem em curso ensaios clínicos na área da diabetes e uma investigação para a aplicação conjunta de células estaminais do sangue do cordão umbilical com células endoteliais em doentes com feridas crónicas, em parceria com o Centro de Neurociências e Biologia celular de Coimbra.

André Gomes, Fundador e CEO da Crioestaminal, revela que “o líder tem sempre uma responsabilidade acrescida perante o mercado e, na Crioestaminal, assumimos isso de uma forma muito frontal. Acreditamos, convictamente, que nos compete a nós contribuir para a credibilização do setor e abrir novos caminhos para a biomedicina no campo das aplicações terapêuticas das células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical. O investimento que fazemos em I&D tem vindo a ser reconhecido pelo mercado, como o comprovam as duas recentes distinções”.

 “Escolha do Consumidor”, pela quarta vez consecutiva, a Crioestaminal acaba de ser reconhecida como tendo também vencido o prémio “Cinco Estrelas”.

A Crioestaminal foi o primeiro banco de criopreservação em Portugal, sendo o maior da Península Ibérica e o quarto a nível europeu. Fundada em 2003, emprega mais de 60 colaboradores e tem presença direta em quatro países da Europa (Portugal, Espanha, Itália e Suíça). É o único banco ibérico acreditado pela AABB (Advancing Transfusion and Cellular Therapies Worldwide), sendo um dez mais influentes e inovadores bancos de células estaminais do cordão umbilical do mundo.

Recomendadas

Tecnológica Didimo recebe investimento de 1 milhão de euros

A startup do Porto, que se dedica a criar “humanos digitais”, recebeu em dezembro um financiamento de mais de 6 milhões de euros. A nova ronda teve por trás a Armilar Venture Partners, a Bright Pixel e a PME Investimentos.

Clevermee desafia crianças a aprender Matemática online: “Estamos abaixo da média no ensino da disciplina. Algo não está bem”

A startup vai receber em breve um novo investimento de 100 mil euros, relevou ao Jornal Económico o CEO. “Uma criança que pensa que é má a Matemática irá ser um adulto que toma decisões académicas e profissionais baseadas nessa ideia”, diz Mário Coelho.

Startup portuguesa Newton.ai expande negócio para a Arábia Saudita

A empresa que recorre à inteligência artificial para recrutamento venceu ainda uma competição saudita na qual participaram 300 concorrentes. Hélder Silva é o investigador e empresário por trás desta tecnológica que nasceu em Oxford e opera a partir de Silicon Valley.
Comentários