Cuatrecasas debate IVA e ‘quick fixes’ em Lisboa e no Porto

Os pequenos-almoços executivos vão realizar-se esta terça e quarta-feira, no escritório da sociedade na capital e na Fundação AEP.

A sociedade de advogados Cuatrecasas vai organizar dois pequenos-almoços executivos, em Lisboa e no Porto, nos próximos dias 11 e 12 de fevereiro, sobre o IVA e quick fixes (novidades no regime das operações intracomunitárias de bens). As sessões vão realizar-se no escritório da firma no Marquês de Pombal e na Fundação AEP, respetivamente.

Em comunicado, o escritório lembra que foram introduzidas na legislação quatro alterações, no âmbito da aprovação pela Comissão Europeia do Plano de Ação do IVA, são designadas de quick fixes e entram em vigor a partir deste ano.

“As alterações têm o intuito de clarificar as regras de tributação relativamente a operações de call-off stock e das transmissões de bens em cadeia, harmonizar a prova do transporte dos bens nas transmissões intracomunitárias e estabelecer novos requisitos substantivos para que estas transmissões possam beneficiar de isenção”, refere a sociedade ibérica.

Nesse sentido, a Cuatrecasas promove estas formações para analisar as principais implicações destes mecanismos para as empresas, tendo em linha de conta a minimização de riscos e a maximização de oportunidades. Os oradores serão o sócio coordenador Diogo Ortigão Ramos e os associados séniores Mário Silva Costa e Francisco Sequeira, ambos advogados da área de Direito Fiscal.

Recomendadas

PremiumDeloitte vai quase duplicar soluções na “App Store fiscal”

Os programadores da consultora irão, até ao final do ano, desenvolver mais aplicações móveis para automatizar os processos fiscais das empresas.

Operação Lex: Ordem dos Advogados vê com “grande preocupação” viciação do sorteio de processos em tribunais

A Ordem dos Advogados vê com “grande preocupação” a possibilidade de viciação do sistema electrónico de distribuição de processos nos Tribunais portugueses e apela a que o Conselho Superior de Magistratura assegure que este tipo de práticas “não poderá repetir-se”, depois de notícias que dão conta de que o ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Vaz das Neves, foi constituído arguido no processo Operação Lex, por aquele tipo de suspeitas de viciação.

PremiumNuno Faria: “Negócios entre Portugal e Irão estão em ponto morto”

O advogado Nuno Pinto Coelho de Faria realça que a escalada das tensões no Médio Oriente travou contactos “muitíssimo evoluídos” no setor farmacêutico.
Comentários