Cuidado com o frio. Deco deixa conselhos para os próximos dias

Todos os distritos de Portugal continental estão, até às 12h de sábado, sob aviso amarelo devido à persistência de valores baixos das temperaturas mínimas. Nova vaga de frio pode agravar problemas cardíacos e respiratórios, como gripes e constipações, sobretudo em crianças, idosos e doentes crónicos. Deco deixa alguns conselhos para atuar em caso de dificuldade respiratória.

O tempo frio e seco vai continuar pelo menos até ao final da próxima semana. Todos os distritos de Portugal continental estão, até às 12h de sábado, sob aviso amarelo devido à persistência de valores baixos das temperaturas mínimas. A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) lança o alerta: temperaturas baixas agravam problemas cardíacos e respiratórios, como gripes e constipações, sobretudo em crianças, idosos e doentes crónicos. E dá conselhos para saber como atuar em caso de dificuldade respiratória.

“Em dias de muito frio, agasalhe-se bem e procure evitar mudanças bruscas de temperatura”, avança a Deco, realçando que em situações extremas, o enregelamento e a hipotermia podem levar a amputações ou mesmo à morte.

A associação destaca aqui a necessidade de vigiar de perto crianças, idosos e doentes crónicos, que não têm grande perceção das mudanças climáticas. E recorda que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a falta de aquecimento nas casas é a principal causa de morte entre os idosos em Portugal. Por isso, deixa o conselho: “visite-os ou telefone com frequência”.

A estes conselhos, a Deco acrescenta ainda a necessidade de ter cuidado com lareiras e aquecedores a gás. “Não acenda fogareiros a carvão dentro de casa. A acumulação de monóxido de carbono em locais fechados pode ser fatal, pelo que deve deixar uma porta ou janela aberta para haver circulação do ar”, frisa.

A associação aconselha ainda a manter-se atento aos avisos das autoridades de saúde, do Instituto de Meteorologia e Geofísica e da Autoridade Nacional de Proteção Civil, numa altura em que todos os distritos de Portugal continental estão, até às 12h de sábado, sob aviso amarelo devido à persistência de valores baixos das temperaturas mínimas.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), as temperaturas mais baixas têm se situado e no interior norte e centro entre os -4 e os -2. Já as temperaturas são de zero graus junto a Leiria e em Lisboa de 5,6 graus. No interior do Alentejo variam entre 0 e 1 graus.

 

Como agir em caso de dificuldade respiratória

Em caso de dificuldades respiratórias, a Deco recorda que se precisar de aconselhamento, ligue para a linha Saúde 24 (808 24 24 24) e, em caso de emergência, o 112. E sistematiza os sinais de dificuldade respiratória: a respiração acelerada, ruidosa e sibilante; a incapacidade de falar, de completar frases ou até de pensar com clareza, a tosse e a pele azul-acinzentada (cianose), sobretudo nas orelhas, lábios e pontas dos dedos.

“Ao ajudar uma pessoa com estes sintomas, peça-lhe que se sente direita e confortável. Incentive-a a respirar calmamente, inspirando pelo nariz e expirando pela boca. Nunca deite uma pessoa com dificuldade respiratória, pois piora a situação”, avança.

De acordo com o INEM, deve aconselhar a pessoa responder “sim” ou “não” através de gestos e não permita que esta faça esforços físicos, pois a fadiga vai agravar a situação. Se a vítima utilizar habitualmente oxigénio em casa, não aumente o valor administrado.

“Leve-a ao hospital, mesmo que aparente já ter recuperado, para averiguar se há algum dano e confirmar a causa”, conclui a Deco.

 

Conselhos da Protecção Civil e da Direcção-Geral de Saúde

Para fazer face ao tempo frio e seco, a Protecção Civil e a Direcção-Geral de Saúde deixam alguns conselhos com destaque, tal como a Deco, para a necessidade de especial atenção aos aquecimentos com combustão (ex.: braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação devido à acumulação de monóxido de carbono e levar à morte.

Estas entidades deixam a lista de conselhos:

Evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar;

Atenção à condução em locais onde se forme gelo na estrada, adopte uma condução defensiva;

Evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;

Mantenha o corpo quente, através do uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;

Proteja as extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol) e calçado quente e antiderrapante;

Ingira de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor;

Acautele a prática de actividade física no exterior, prestando atenção às condições do piso para evitar quedas;

Preste atenção aos grupos mais vulneráveis (crianças nos primeiros anos de vida, doentes crónicos, pessoas idosas ou em condição de maior isolamento, trabalhadores que exerçam actividade no exterior e pessoas sem abrigo).

Centros de saúde de Lisboa e Vale do Tejo com horário alargado por causa do frio

Desde a semana passada, os centros de saúde de Lisboa e Vale do Tejo passaram a ter horários alargados durante a semana e fim de semana face à “maior pressão e afluência de utentes devido ao frio” nas urgências hospitalares.

Em comunicado, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) adiantou que vão estar em “horário alargado durante a semana” 29 centros de saúde, “ao sábado 45 e ao domingo 34, tendo em conta a esperada afluência neste período de inverno”.

A ARSLVT “reforça que aos primeiros sintomas de gripe, como tosse, dores de cabeça, febre, mal-estar e dores musculares, deverá contactar o Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde (SNS24), através do número 808 24 24 24”.

Com o reforço dos horários, a ARSLVT “dá assim continuidade ao compromisso de melhorar a resposta assistencial aos seus 3,6 milhões de utentes”, referindo que “a missão da instituição passa por garantir, à população da região de Lisboa e Vale do Tejo, o acesso à prestação de cuidados de saúde de qualidade, adequando os recursos disponíveis às necessidades em saúde”

 

Dicas da Deco para um inverno tranquilo

Para fazer face à descida das temperaturas e passar um inverno tranquilo, a Deco aconselha a encurtar as horas entre refeições, bem como optar por sopas e bebidas quentes, como leite e chá.

“Se a saúde o permitir, ingira alimentos mais calóricos como é o caso do chocolate e dos frutos secos. Mas deve evitar as bebidas alcoólicas. O álcool faz o organismo libertar calor e arrefecer. Além disso, deprime o sistema nervoso central, o que diminui a capacidade de sentir o frio”, acrescenta a associação.

A Deco deixa ainda outras dicas para o banho: “a água demasiado quente remove a proteção cutânea. Passe creme hidratante nas áreas mais expostas ao frio”, aconselhando também proteger sobretudo as mãos e os lábios, para não ficarem secos ou gretados.

A associação alerta ainda para não praticar atividades físicas intensas, como correr ao ar livre.

“As temperaturas baixas não favorecem a circulação sanguínea e obrigam o coração a um esforço maior”, explica a Deco, salvaguardando que, no entanto, o exercício moderado aumenta a circulação sanguínea e a produção de calor e que deverá sempre evitar arrefecer com peças de roupa transpiradas.

Outros conselhos da Deco passam também por vestir várias camadas de roupa, em vez de usar uma só peça, ainda que de tecido grosso.

“O ar entre as camadas funciona como isolante e ajuda a manter a temperatura”, realça, acrescentando que roupas muito justas ou que provoquem transpiração são desaconselháveis. “As primeiras dificultam a circulação sanguínea e as segundas provocam perda de calor. Use ainda calçado isolante, para conservar a temperatura”, explica, concluindo que deve também proteger o rosto, por exemplo, com um cachecol e se for apanhado por uma chuva inesperada, mude de roupa o mais rápido possível.

 

Ler mais
Recomendadas

Barreiro aposta no LED e prevê poupanças de 4,3 milhões de euros

O município instalou 11 mil novos candeeiros de sistema LED, por troca com a até então rede de iluminação pública. Os trabalhos de substituição vão prolongar-se durante três meses.

Quatro mulheres deixaram água e comida a migrantes. Foram condenadas nos EUA

Ativistas foram condenadas por um juiz norte-americano no final da semana passada. É a primeira sentença criminal por causas humanitárias no espaço de uma década.

Alerta amarelo: vento vai chegar aos 90 km/h esta quarta-feira

Bragança, Viseu, Porto, Guarda, Vila Real, Viana do Castelo, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga vão estar sob aviso amarelo entre as 6h e as 18h desta quarta-feira devido às fortes rajadas de vento.
Comentários