Data da entrada em vigor das tarifas adicionais aproxima-se e Wall Street não perdoa

A retalhista AutoZone dispara 8,35 % para 1.268,23 pontos, após ter divulgado os últimos resultados trimestrais e superado as expectativas dos analistas.

Reuters

A Bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta terça-feira, 10 de dezembro, em terreno negativo, à medida que a entrada em vigor das tarifas adicionais às importações chinesas se aproxima, uma vez que estão agendadas para o próximo domingo (15 de dezembro). Ainda assim, o jornal norte-americano “Wall Street Journal” noticia hoje que os Estados Unidos da América estão a planear adiar a aplicação destas taxas aduaneiras.

Os três principais índices norte-americanos arrancaram no ‘vermelho’. O industrial Dow Jones perde agora 0,22% para os 27.850,88 pontos, o financeiro S&P 500 recua 0,15%, para os 3.131,38 pontos, o tecnológico Nasdaq desce 0,04%, para os 8.618,42 pontos. Já o Russel 2000 está a ser marcado por uma desvalorização de 0,26%, para 1.627,50 pontos.

“Se os dois países [Estados Unidos e China] conseguirem chegar atempadamente a um acordo de fase 1, isto é, antes do dia 15 de dezembro, em princípio, as tarifas programadas para entrar em vigor nesse dia seriam canceladas. Nesse cenário, é provável as bolsas a nível mundial reajam positivamente. Porém, para já, os índices europeus abrem a sessão de hoje contagiados pelo sentimento de cautela”, refere André Pires, da XTB.

A retalhista AutoZone destaca-se ao estar em contraciclo e disparar 8,35 % para 1.268,23 pontos. Os títulos da empresa de Tenesse reagem à divulgação dos últimos resultados trimestrais, que superaram as expectativas dos analistas (ganhos por ação de 14,30 dólares versus 13,74 dólares).

“A Netflix reage negativamente à nota de um analista que prevê uma perda de subscritores para o próximo ano”, refere Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, em research de mercado. Os títulos da empresa de streaming estão a cair 2,26%, para 295,66 dólares, na sequência de Needham antever que poderá perder 4 milhões de subscritores.

Em relação aos preços do petróleo, a cotação do barril de Brent está a subir 0,17%, para 64,36 dólares, enquanto a cotação do crude WTI avança 0,22%, para 59,15 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro aprecia 0,15% face ao dólar (1,1079) e a libra “valoriza” 0,24% perante a divisa dos Estados Unidos (1,3175).

Ler mais

Recomendadas

Bolsa de Lisboa em queda com deslize da Galp. Europa encerra em baixa

Os resultados do UBS e o vírus da China que penalizaram o sentimento dos investidores nas bolsas europeias, dizem os analistas. Por cá a Galp foi afetada pela queda do price-target da Morgan Stanley. Já o BCP conseguiu fechar em terreno positivo.

“Mercados em Ação”: Assista ao programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

Wall Street em baixa e ressente-se do novo vírus da China

A Comissão Nacional de Saúde da China confirmou que coronavírus é transmissível entre humanos, tendo o vírus chegado aos maiores centros urbanos chineses, incluindo a capital, Pequim, a cidade de Shanghai. A situação está a ter impacto particularmente nos títulos das companhias aéreas e nos operadores de casinos e hóteis norte-americanos. Previsões do Fundo Monetário Internacional sobre o crescimento da economia mundial e nos Estados Unidos também estão a pesar no sentimento dos investidores.
Comentários