De Bezos ao fundador do Zoom. Estes 8 bilionários ficaram mais ricos durante a pandemia

Numa altura em que muitas empresas se vem aflitas para sobreviver aos impactos da Covid-19, algumas, cujo os serviços se tornaram essenciais, viram os seus lucros aumentar, fazendo com que, por sua vez, a riqueza dos seus donos também cresça.

A pandemia do novo coronavírus abalou os mercados em todo o mundo, tendo gerado dificuldades para muitas empresas. Contudo, algumas fogem à regra. São empresas geralmente focadas em tecnologia, cujos serviços se tornaram mais importantes num contexto de isolamento social.

A valorização dessas companhias deixou alguns bilionários ainda mais ricos. É o caso de Eric Yuan, CEO da plataforma de teleconferência Zoom, cuja ação subiu 145% na bolsa de valores Nasdaq desde janeiro ou o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg. Porém, Jeff Bezos continua a ser o homem mais rico do mundo. A pandemia potenciou as vendas da Amazon, o que por sua vez aumentou a riqueza do fundador.

Tendo em conta estes valores, o “Business Insider” fez um levantamento dos oito bilionários que mais lucraram este ano. É importante lembrar apenas que a maior parte do ganho está relacionada com o desempenho de empresas em bolsa. Os dados são de 28 de maio.

 

Recomendadas

PremiumEmpresas nacionais brilham nas tecnologias da educação

JP Inspiring Knowledge, Bi-Bright e ubbu têm uma palavra a dizer na ‘virtualeduca.connect’, que decorre de 21 a 23 de julho, sob o signo do futuro.

Setor dos recursos minerais otimista na recuperação da atividade

A preservativa de evolução da liquidez é mais otimista face ao mês de abril, apesar de 33% estimar um impacto negativo de 20% a 40% na liquidez.

Companhia aérea Emirates planeia eliminar até 9 mil postos de trabalho

Antes do início da pandemia da covid-19, a companhia aérea contava com 60.000 funcionários e, em 31 de maio, anunciou despedimentos, apesar de não especificar quantos seriam.
Comentários