De Coimbra para o mundo. Solução informática defende património natural e cultural

Equipa da Universidade de Coimbra vence competição internacional com solução de monitorização de eventos que podem colocar em risco o património baseada em dados de satélite gratuito.

O desafio consistia em desenvolver soluções para “ajudar a gerir, salvaguardar e monitorizar o património natural e cultural com recurso a dados de satélite dos programas “Copernicus” e “Galileo”. A equipa da Universidade de Coimbra respondeu com o projeto “ARCHER – Heritage Surveillance and Monitoring”. No final, Ricardo Cabral, Martino Correia, Steffan Davies e Tiago Cordeiro arrebataram a primeira competição internacional “Copernicus Hackathon Cork” dedicada ao património natural e cultural.

Os investigadores de Coimbra conceberam uma solução de monitorização de riscos múltiplos, que usa “dados de satélite, atualizados semanalmente, para deteção da ação de eventos que poderão pôr em risco o património, como por exemplo, o abatimento dos solos, deslizamentos, erosão eólica e hídrica, inundações costeiras e fluviais, bem como atividades de natureza antrópica”.

“Tendo em conta as previsões atuais da evolução das alterações climáticas, cremos que as ferramentas da plataforma ARCHER serão indispensáveis para monitorizar e proteger o património com a maior eficácia possível”, explicam os mentores do projeto.

A plataforma está atualmente na fase final dos testes de demonstração, tendo já sido desenvolvidos projetos-piloto com as Direções Regionais de Cultura do Alentejo e Algarve.

O prémio “Copernicus” é atribuído pelo Programa Europeu para a Observação da Terra, coordenado e gerido pela Comissão Europeia e pela Agência Espacial Europeia e traduz-se em 12 meses de incubação no programa “Copernicus Accelerator” e num vale de subscrição no valor de 1.200 euros para acesso ao repositório “OneAtlas” da Airbus.

É o reconhecimento internacional do esforço investido pela equipa numa tecnologia inovadora que pretende contribuir para a proteção do património. O desenvolvimento de projetos nesta área tecnológica por uma unidade de investigação em Humanidades é verdadeiramente extraordinário na Universidade de Coimbra, salientam os investigadores.

 

Ler mais
Recomendadas

Ministro da Educação anuncia 125 milhões para reforçar recursos humanos das escolas

Tiago Brandão Rodrigues anunciou, esta terça-feira à tarde, no Parlamento verba para reforçar as escolas com docentes e não docentes e técnicos superiores, como psicólogos.

PremiumCatólica Porto Business School quer elevar qualidade da gestão no país

Rui Soucasaux Sousa diz ao JE que escola de negócios, que vai liderar até 2023, quer ter papel-chave na melhoria da gestão das empresas. No curto prazo, é desafio a mobilidade internacional, dificultada pela pandemia.

Médias dos alunos do secundário estão mais altas. Veja aqui o ranking das escolas

Dois colégios privados, um do Porto, outro de Braga surgem à cabeça dos que mais se distinguiram-se nos exames de 2019. As primeiras escolas públicas são a Infanta D. Maria, em Coimbra e Básica e Secundária Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira. Filosofia ficou em terreno negativo.
Comentários