Deixar falir a TAP? “Poderia deixar”, admite Rui Rio

O presidente do PSD defende que a TAP está “tecnicamente falida” e que por isso é de extrema importância pedir ao Governo um plano de negócios “que ainda não apareceu”.

Flickr/PSD

“A TAP está falida”, começou por afirmar o social-democrata em entrevista à RTP3, emitida esta noite.

“Se está falida, a primeira coisa que tem que exigir é um plano de negócios e de reestruturação para a TAP. Esse plano não apareceu, mas o Governo diz alegremente ‘toma lá mil milhões de euros’. E agora todos nós vamos ficar à espera da próxima fatura porque nem o plano de negócios há”, criticou Rui Rio.

Questionado sobre se deixaria cair a empresa se estivesse sob o seu domínio, o presidente do PSD admite: “Poderia deixar. Poderia deixar”, explica, acrescentando que o plano de negócios é necessário para determinar o futuro da empresa.

O Governo tem o valor “máximo” previsto de 1,2 mil milhões de euros para financiar a TAP através do Orçamento Suplementar. O valor é, segundo o secretário de Estado do Tesouro, o pior cenário previsto. Sem especificar, Álvaro Novo falou que está previsto um “cenário base” de ajuda à TAP e um segundo, mais exigente, em que foi adicionada uma margem sobre o cenário base, que possa fazer face à actual “incerteza do sector da aviação”.

Esta tarde, a TAP anunciou que a empresa vai aderir à retoma progressiva do período normal de trabalho, reduzir o horário laboral entre os 70% e 20% em agosto.

De acordo com o comunicado divulgado pela CMVV, a decisão surge no âmbito do Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva que prevê um mecanismo de redução do horário de trabalho para todos os trabalhadores, não estando prevista a figura de suspensão do contrato de trabalho.

“O Conselho de Administração da TAP decidiu que, na TAP, a redução do período normal de trabalho oscilará entre os 70% e os 20%, sendo que todos os colaboradores da TAP serão informados individualmente sobre a modalidade que lhes será aplicada”, lê-se na nota divulgada.

Ler mais
Relacionadas
rui_rio_psd

Rui Rio defende que venda de imóveis feita pelo Novo Banco “teve contornos criminosos”

Líder social-democrata entende as operações de venda de ativos do Novo Banco podem constituir matéria criminal e voltou a pedir ao Ministério Público que investigue o caso até às últimas consequências.

TAP adere ao apoio à retoma progressiva e reduz horário entre 20% a 70%

A decisão surge no âmbito do Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva que prevê um mecanismo de redução do horário de trabalho para todos os trabalhadores, não estando prevista a figura de suspensão do contrato de trabalho.

TAP vai contratar consultora de recursos humanos para fazer a “avaliação” dos gestores da empresa

O ministro das Infraestruturas explicou que o objetivo é ficar a conhecer quais as competências e experiência dos gestores da companhia aérea antes do processo de reestruturação.
Recomendadas

OE2021: Desporto descontente com falta de “apoio extra” à formação

O movimento desportivo português mostrou-se manifestamente derrotado no Orçamento do Estado para 2021. O setor pretendia conseguir mais financiamento para as atividades de formação.

Assembleia da República vota provável prolongamento do Estado de Emergência a 4 de dezembro

Na próxima semana, o parlamento realizará três sessões plenárias – um na quinta-feira, dia 3 de dezembro, e dois na sexta-feira, dia 04, um de manhã e outro à tarde – e na semana seguinte dois plenários, marcando para dia 11 um debate setorial com um membro do Governo ainda a definir.

Marisa Matias: Bruxelas entre a “chantagem dos países frugais e dos agressores do Estado de Direito”

“Cedência atrás de cedência colocou-nos aqui e a minha pergunta é: até quando? O que é que vai restar do projeto europeu? Se não tivermos uma resposta firme de solidariedade, se continuarmos a aceitar a aceitar a chantagem daqueles que não o querem solidário”, questionou Marisa Matias no mesmo dia que a Hungria e Polónia confirmaram os seus vetos ao Orçamento europeu.
Comentários