Depois da nipónica Ambush, Farfetch reforça com aquisição de marca norte-americana

O grupo liderado por José Neves está em plena fase de crescimento por via aquisitiva: um dia depois de ser conhecida a compra da japonesa Ambush, foi agora a vez da norte-americana Opening Ceremony.

José Neves, Farfetch

Um dia depois de ter sido conhecida a compra da joalheira japonesa Ambush por parte da Farfetch, plataforma de venda de produtos de luxo luso-britânica, o grupo liderado por José Neves volta a ser notícia, desta vez com a aquisição da Opening Ceremony, uma marca de roupa norte-americana fundada em 2002 pelos estilistas Carol Lim e Humberto Leon.

A Farfetch comprou os direitos de marca e propriedade intelectual da empresa de luxo e passará a controlar a produção, segundo avança o jornal ‘Business of Fashion’. A marca norte-americana alterará a sua sede para Milão, relançará os produtos no site da Farfetch e mudará o showroom para Paris – mantendo as suas três lojas nos Estados Unidos e uma no Japão. Segundo a mesma fonte, os fundadores da Opening Ceremony continuarão como diretores da empresa e seus diretores criativos.

A aquisição voltou a ter como veículo a New Guards Group, adquirida em agosto passado pela Farfetch por 675 milhões de dólares (606 milhões de euros), tal como aconteceu com a Ambush (controlando ainda as marcas Off-White, Palm Angels, Marcelo Burlon Country Mila, Hern Preston, Unravel Project, Alanui e Plan Apllication).

Recorde-se que a Ambush – cujas produções já anteriormente podiam ser adquiridas na plataforma da Farfetch – foi fundada em 2008 por Yohhn Ahn e o rapper Verbal e em 2016 abriu a sua primeira loja em Tóquio, cidade a partir da qual começou um movimenro de expansão. A empresa gera cerca de 22 milhões de dólares em vendas e o Japão continua a ser o seu principal mercado.

A New Guards Group surgiu em Milão em 2015, pelas mãos de Davide De Giglio e Claudio Antonioli. A empresa, que em agosto passou para os ativos da Farftetch por 675 milhões de dólares (606 milhões de euros).

A Farfetch registou perdas de 85,4 milhões de dólares no terceiro trimestre do ano, um resultado pior do que no mesmo período do ano passado (prejuízos de 77,2 milhões de dólares), mas mesmo assim não tão maus quanto os analistas esperavam.

As receitas do grupo subiram para 255,4 milhões de dólares, um crescimento acentuado face aos 134,5 milhões de dólares do mesmo período em 2018. A plataforma de comércio de moda de luxo anunciou na altura que prevê, no quatro trimestre, perdas entre os 21 e os 31 milhões de dólares.

Ler mais
Recomendadas

Santander lucra 6,5 mil milhões em 2019, menos 17% que em 2018

O banco espanhol apresentou resultados a caírem por causa dos custos extraordinários com a operação que tem no Reino Unido. Mas em Espanha os lucros subiram. O Santander Totta, em Portugal, contribuiu com 525 milhões de euros para o resultado líquido.

Já arrancou a assembleia de acionistas da Cofina para votar compra da TVI

Os acionistas da dona do Correio da Manhã vão votar a compra da TVI e um aumento de capital no valor de 85 milhões de euros para financiar a compra da Media Capital. Assembleia da Cofina tem início depois de os acionistas da Prisa já terem dado luz verde à venda da TVI.

Acionistas da Prisa aprovam venda da TVI à Cofina

Os acionistas da empresa dona da TVI deram luz verde à venda estação de televisão e outros ativos à companhia que detém o Correio da Manhã e a CMTV, entre outros.
Comentários