Deputados aprovam alargamento da tarifa social de energia

De acordo com o documento, ficará assegurado que “as condições de elegibilidade de acesso à tarifa social para o gás natural são as mesmas que as da tarifa social para a energia elétrica”.

Os deputados aprovaram esta terça-feira uma proposta do PAN que alarga a tarifa social de energia às situações de desemprego e a quem tem um rendimento mensal equivalente ao valor do salário mínimo nacional.

A proposta foi aprovada durante a votação na especialidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) com os votos favoráveis de todos os partidos à exceção do PSD, que votou contra, e a abstenção do CDS.

Segundo a proposta, “o Governo procede, durante o ano de 2020, à alteração das condições de acesso da tarifa social na energia, com vista ao seu alargamento, designadamente na energia elétrica e no gás natural”.

A alteração integra “todas as situações de desemprego, para além das já existentes”, assim como “agregados familiares que, não beneficiando de qualquer prestação social, apresentem um rendimento total anual igual ou inferior a 19.050 euros, acrescido de 50% por cada elemento do agregado familiar que não tenha qualquer rendimento”.

De acordo com o documento, ficará assegurado que “as condições de elegibilidade de acesso à tarifa social para o gás natural são as mesmas que as da tarifa social para a energia elétrica”.

“O PAN considera, assim, da mais elementar justiça social o alargamento da atribuição da tarifa social às situações de desemprego e a um rendimento ‘per capita’ mensal equivalente ao salário mínimo (635 euros em 2020), o que corresponde, considerando um agregado familiar médio de 2,5, a um rendimento total anual do agregado familiar igual ou inferior a 19.050 euros”, lê-se no documento.

Ler mais
Recomendadas

Mitos sobre o consumo

Regule o termóstato para 20ºC no inverno. Cada grau adicional reflete-se na fatura. Pondere a compra de um termóstato portátil e programe a caldeira para aquecer apenas as divisões com pessoas.

Respostas Rápidas: É possível cancelar uma transferência bancária?

Descubra como proceder caso se tenha enganado a fazer uma transferência bancária.

Atenção aos falsos rastreios de saúde, alerta Deco

Para além da abordagem enganosa, estamos também perante vendas agressivas, em que consumidores assinam um contrato que não querem e/ou que nem entendem na totalidade e, muitas vezes, nem têm dinheiro para pagar.
Comentários