Desemprego em Portugal deve subir para 8% em 2020, prevê a Comissão Europeia

Bruxelas explicou nas económicas do outono que “ao beneficiar da recuperação económica projetada e mais medidas de apoio, a taxa de desemprego deverá gradualmente caminhar para perto do nível pré-pandemia”, projetando descidas em 2021 e 2022.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

A taxa de desemprego em Portugal deve subir para 8% este ano, antes de recuar para 7,7% em 2021 e 6,6% em 2022, afirmou esta quinta-feira a Comissão Europeia (CE).

“Ao beneficiar da recuperação económica projetada e mais medidas de apoio, a taxa de desemprego deverá gradualmente caminhar para perto do nível pré-pandemia”, referiu a CE, nas projeções económicas do outono. Em maio, nas projeções da primavera, Bruxelas previa uma taxa de desemprego de 9,5% este ano.

No Orçamento do Estado para 2021, o Governo estima uma taxa de desemprego de 8.7% em 2020, também projetando um recuo em 2021, neste caso para 8,2%.

 

Relacionadas

Mais pessimista que o Governo, Bruxelas vê economia a recuar 9,3% este ano

A Comissão Europeia vê a economia a recuperar 5,4% em 2021, mas deixa o alerta: “Os riscos estão ainda negativos devido à elevada dependência de Portugal no turismo externo, no qual a incerteza permanece significativa”, referiu a CE, nas projeções económicas do outono.

Bruxelas alinha com Governo e vê défice público de Portugal em 7,3% este ano

Em relação à dívida pública, a CE projeta que o rácio em relação ao PIB dispare para 135,1% este ano, de 117,2% em 2019, “refletindo o repentino défice primário e o efeito denominador causado pela contração esperada do PIB nominal”.
Recomendadas

Wall Street fecha com ganhos assinaláveis depois das quedas da semana anterior

O impacto inicial da Omicron parece ter sido corrigido, com os principais índices norte-americanos a subirem na sessão de hoje. Destaque para o sector tecnológico, cujos ganhos impulsionaram o Nasdaq a subir mais de 360 pontos.

Portugal é o 13º país da UE que maior percentagem de gastos públicos dedica a I&D

A investigação e desenvolvimento sofreu no último ano, com o valor total investido pelos governos europeus a cair em relação a 2019, apesar do peso no PIB da UE até ter crescido, dada a queda deste indicador.

Hélder Rosalino destaca projeto do Eurosistema para a emissão da moeda digital do banco central como desafio para novo mandato

O administrador do Banco de Portugal diz que “para ter capacidade de influenciar o desenho do chamado Euro digital e capacidade de apoiar o sistema financeiro nacional caso o projeto avance, o banco terá de participar ativamente na fase de investigação, que decorrerá até 2023, e na fase da implementação, operacionalizando a infraestrutura que vier a ser disponibilizada”.
Comentários