Despique de prémios: Santander responde ao BPI com o título de “Melhor Banco na Europa Ocidental”

O Bank of America foi eleito o melhor banco do mundo nos Euromoney Awards for Excellence de 2018. O Citi, por sua vez, foi nomeado o melhor banco de investimento do mundo.

O BPI destronou este ano o lugar de “Melhor Banco em Portugal” que durante anos foi atribuído pela revista Euromoney ao Banco Santander Totta. Mas o Banco Santander tem um galardão para a troca. O espanhol Banco Santander recebeu em Londres, o prémio de “Melhor Banco na Europa Ocidental”, atribuído pela revista Euromoney no âmbito da 27ª gala Euromoney Awards for Excellence e que contou com a presença de mais de 700 banqueiros de todo o mundo.

O CaixaBank, dono do BPI, também espanhol, ficou apenas com o prémio de Melhor banco digital da Europa Ocidental 2018.

No caso do Santander, o júri reconheceu que o ano foi marcado por avanços na tecnologia digital no Santander e que com a aquisição do Banco Popular “dá um grande passo na estratégia global do Santander para o crescimento nas PME”. A revista destaca também a operação em Portugal e salienta que “a compra (do Banco Popular) tornou o Santander Totta no maior banco privado em Portugal, com uma quota de mercado de 17%”.
A Euromoney realça também a capacidade do Grupo Santander na Europa – com presença em Portugal, Espanha, Reino Unido, Alemanha e Polónia – e o facto de ser o maior banco da União Europeia em termos de capitalização bolsista a alguma distância dos seus pares.

Os Euromoney Awards for Excellence começaram a ser publicados em 1992 e foram os primeiros do género no setor bancário global.
Os vencedores dos Prémios Euromoney são selecionados por editores, jornalistas e analistas da revista, que combinam critérios objetivos, como a rentabilidade, o crescimento e a eficiência, com análises de membros da revista, que cobrem os mercados financeiros internacionais. Os Prémios reconhecem ainda as instituições que apresentam os melhores
serviços junto dos seus Clientes demonstrando liderança, inovação e dinamismo nos mercados onde operam, sendo atribuídos por país e a nível global.

E o melhor banco do mundo é…
O Bank of America foi eleito o melhor banco do mundo nos Euromoney Awards for Excellence de 2018. O Citi, por sua vez, foi nomeado o melhor banco de investimento do mundo, confirmando a atual ascendência dos bancos norte-americanos nos serviços financeiros globais.

Por seu turno Tidjane Thiam, do Credit Suisse, foi nomeado o Banqueiro do Ano, sendo que o Credit Suisse também foi eleito o melhor banco de investimento nos mercados emergentes, além de ganhar o prémio de gestão de património em quatro regiões.

Mas há mais prémios. O DBS tornou-se o primeiro banco asiático a ganhar dois prémios globais – o de melhor banco digital do mundo e o de melhor banco do mundo para PMEs.

Já o Kotak Mahindra Bank tornou-se o primeiro banco indiano a ganhar um prémio global, pelo melhor banco nos mercados emergentes.

O Raiffeisen Bank International tornou-se o primeiro banco da Europa Central e Oriental a conquistar um prémio global, conquistando a distinção de melhor transformação bancária do mundo.

O Morgan Stanley continuou a impressionar. Após a vitória do ano passado de melhor banco de investimento do mundo, recebeu os prémios para o melhor banco do mundo para mercados e o melhor banco do mundo para instituições financeiras. O banco dos EUA é agora o principal banco não-universal em vendas e negociações globais.

O HSBC foi o vencedor do prémio de melhor banco do mundo no ano passado, e recebeu três distinções globais: serviços de transações (o banco demonstrou liderança na simplificação digital e no fornecimento de soluções inovadoras para os clientes); banca de empresas e banca para clientes do setor público.

O BNP Paribas foi eleito o melhor banco do mundo em finanças sustentáveis, uma nova categoria este ano.

Regionalmente, os melhores bancos foram: Itaú Unibanco (América Latina); Banco Santander (Europa Ocidental); Grupo OTP com sede Budapeste, Hungria (foi o melhor da região Europa Central e Oriental); Emirates NBD (Oriente Médio); Société Générale (África); e Citi (Ásia).

As distinções da Euromoney são internacionalmente reconhecidas no setor.

Ler mais
Recomendadas

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.

BdP: empréstimos às empresas cresceram em outubro

Já quanto aos empréstimos a particulares, o BdP diz ter registado uma variação de 6,9% em outubro, quando em setembro registara uma taxa de variação de 7,2%.

BCE mantém as exigências de capital ao BPI para 2020

Aí estão os requisitos de capital que o BCE impõe ao BPI para 2020 em função da qualidade do seu balanço. Estes requisitos implicam que o patamar mínimo de CET1 a partir do qual o Banco BPI teria restrições, em 2020, às distribuições de dividendos, é de 9.38%. O BPI tem um rácio de capital core de 12,7% a 30 de setembro deste ano.
Comentários