Despique de prémios: Santander responde ao BPI com o título de “Melhor Banco na Europa Ocidental”

O Bank of America foi eleito o melhor banco do mundo nos Euromoney Awards for Excellence de 2018. O Citi, por sua vez, foi nomeado o melhor banco de investimento do mundo.

O BPI destronou este ano o lugar de “Melhor Banco em Portugal” que durante anos foi atribuído pela revista Euromoney ao Banco Santander Totta. Mas o Banco Santander tem um galardão para a troca. O espanhol Banco Santander recebeu em Londres, o prémio de “Melhor Banco na Europa Ocidental”, atribuído pela revista Euromoney no âmbito da 27ª gala Euromoney Awards for Excellence e que contou com a presença de mais de 700 banqueiros de todo o mundo.

O CaixaBank, dono do BPI, também espanhol, ficou apenas com o prémio de Melhor banco digital da Europa Ocidental 2018.

No caso do Santander, o júri reconheceu que o ano foi marcado por avanços na tecnologia digital no Santander e que com a aquisição do Banco Popular “dá um grande passo na estratégia global do Santander para o crescimento nas PME”. A revista destaca também a operação em Portugal e salienta que “a compra (do Banco Popular) tornou o Santander Totta no maior banco privado em Portugal, com uma quota de mercado de 17%”.
A Euromoney realça também a capacidade do Grupo Santander na Europa – com presença em Portugal, Espanha, Reino Unido, Alemanha e Polónia – e o facto de ser o maior banco da União Europeia em termos de capitalização bolsista a alguma distância dos seus pares.

Os Euromoney Awards for Excellence começaram a ser publicados em 1992 e foram os primeiros do género no setor bancário global.
Os vencedores dos Prémios Euromoney são selecionados por editores, jornalistas e analistas da revista, que combinam critérios objetivos, como a rentabilidade, o crescimento e a eficiência, com análises de membros da revista, que cobrem os mercados financeiros internacionais. Os Prémios reconhecem ainda as instituições que apresentam os melhores
serviços junto dos seus Clientes demonstrando liderança, inovação e dinamismo nos mercados onde operam, sendo atribuídos por país e a nível global.

E o melhor banco do mundo é…
O Bank of America foi eleito o melhor banco do mundo nos Euromoney Awards for Excellence de 2018. O Citi, por sua vez, foi nomeado o melhor banco de investimento do mundo, confirmando a atual ascendência dos bancos norte-americanos nos serviços financeiros globais.

Por seu turno Tidjane Thiam, do Credit Suisse, foi nomeado o Banqueiro do Ano, sendo que o Credit Suisse também foi eleito o melhor banco de investimento nos mercados emergentes, além de ganhar o prémio de gestão de património em quatro regiões.

Mas há mais prémios. O DBS tornou-se o primeiro banco asiático a ganhar dois prémios globais – o de melhor banco digital do mundo e o de melhor banco do mundo para PMEs.

Já o Kotak Mahindra Bank tornou-se o primeiro banco indiano a ganhar um prémio global, pelo melhor banco nos mercados emergentes.

O Raiffeisen Bank International tornou-se o primeiro banco da Europa Central e Oriental a conquistar um prémio global, conquistando a distinção de melhor transformação bancária do mundo.

O Morgan Stanley continuou a impressionar. Após a vitória do ano passado de melhor banco de investimento do mundo, recebeu os prémios para o melhor banco do mundo para mercados e o melhor banco do mundo para instituições financeiras. O banco dos EUA é agora o principal banco não-universal em vendas e negociações globais.

O HSBC foi o vencedor do prémio de melhor banco do mundo no ano passado, e recebeu três distinções globais: serviços de transações (o banco demonstrou liderança na simplificação digital e no fornecimento de soluções inovadoras para os clientes); banca de empresas e banca para clientes do setor público.

O BNP Paribas foi eleito o melhor banco do mundo em finanças sustentáveis, uma nova categoria este ano.

Regionalmente, os melhores bancos foram: Itaú Unibanco (América Latina); Banco Santander (Europa Ocidental); Grupo OTP com sede Budapeste, Hungria (foi o melhor da região Europa Central e Oriental); Emirates NBD (Oriente Médio); Société Générale (África); e Citi (Ásia).

As distinções da Euromoney são internacionalmente reconhecidas no setor.

Ler mais
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em créditos problemáticos até fim do ano

O Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em crédito malparado até ao final do ano, segundo disse o presidente executivo, António Ramalho, à agência de informação financeira Bloomberg.
Comentários