Deutsche Bank estará a estudar fusão com o Commerzbank

Paul Achleitner, presidente do conselho de supervisão do banco alemão, terá discutido o acordo entre os dois credores com investidores e importantes autoridades do governo alemão nos últimos meses.

O Deutsche Bank estará a estudar uma possível fusão com o segundo maior banco alemão, o Commerzbank, noticia a Bloomberg esta quinta-feira. Paul Achleitner terá discutido o acordo entre os dois credores com investidores e importantes autoridades do governo alemão nos últimos meses.

O presidente do conselho de supervisão da principal instituição financeira da Alemanha terá conversado com os principais acionistas sobre a hipótese de aliança, de acordo com a informação transmitida à agência por fontes ligadas às negociações.

Já desde o ano passado que a especulação sobre uma fusão entre os dois principais bancos alemães ou com concorrentes internacionais subiu de tom, após a sociedade de private equity Cerberus Capital ter compado uma participação nos dois bancos.

No primeiro trimestre deste ano, os resultados líquidos do Deutsche Bank caíram para 120 milhões de euros, menos 79% do que no mesmo período de 2017, informou, no final da abril, a entidade bancária. O volume de negócios desceu para 7.000 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, menos 5% do que no mesmo período do ano passado.

O banco atribuiu a queda dos resultados e do volume de negócios sobretudo às diferenças das taxas de câmbio, especialmente a revalorização do euro face ao dólar, e às baixas receitas da banca de empresas e de investimento, adiantou o Deutsche Bank, Depois de anunciar os números, o novo presidente do Deutsche Bank, Christian Sewing, que em 8 de abril substituiu John Cryan, falou em “duras decisões”, incluindo a redução do setor da banca de investimento e uma “nova definição do núcleo” do banco.

Relacionadas

Deutsche Bank fecha unidade de banca de investimento no Brasil

No âmbito de um programa de cortes que se estende a outros países, o Deutsche Bank prepara-se para fechar uma unidade de banca de investimento que mantinha no Brasil. “Estamos comprometidos com o Brasil e a apurar o nosso foco no país”, assegurou ontem a instituição.

Fed classifica Deutsche Bank como banco “problemático”

As ações do banco alemão afundaram mais de 7%, para o valor de fecho mais baixo desde 1991, após a notícia de que as operações nos EUA estavam em “condições problemáticas”.
Recomendadas

BCE aprova administradores do Banco Santander Totta

“Com esta decisão, a totalidade dos membros propostos para o Conselho de Administração e a respetiva Comissão Executiva entra de imediato em funções plenas”, diz o banco agora liderado por Pedro Castro e Almeida.

CEO diz que Novo Banco precisará de mais capital público mas não adianta valor

“Estavam previstas as injeções de capital e essas injeções de capital terão lugar, criar uma expectativa errada sobre o tema é um erro, devemos ser claros”, disse António Ramalho aos jornalistas, à margem do Fórum Capitalizar, organizado em Lisboa pelo Jornal Económico e Novo Banco.

Montepio reduz emissão de obrigações subordinadas para 50 milhões e coloca no acionista

Banco Montepio equacionou colocação de 250 milhões de euros em obrigações subordinadas. Mas, condições de mercado desfavoráveis levaram o banco a desistir.
Comentários