Dicas de Poupança em tempos de crise

Neste artigo recordamos-lhe algumas dicas de poupança que poderão ajudar a atingir os seus objetivos, quaisquer que estes sejam.

Está preocupado com os próximos tempos e vê a necessidade de deitar mãos à obra para começar a poupar dinheiro? Neste artigo recordamos-lhe algumas dicas de poupança que poderão ajudar a atingir os seus objetivos, quaisquer que estes sejam.

Assuma a poupança como uma prioridade

Já reparou que arranjamos sempre tempo para o que consideramos prioritário? Acreditamos que não temos tempo para nada mas encontramos sempre tempo para aquilo que gostamos. No campo das finanças pessoais acontece o mesmo. Se consideramos a poupança como uma prioridade e como uma necessidade, teremos o engenho para desenhar as estratégias necessárias para o efeito.

Perceba a urgência de poupar dinheiro

Seja para fazer face a uma crise ou para ter um fundo de emergências. Seja para poupar para a reforma, já que o sistema público de pensões está cada vez mais ameaçado ou seja por outro motivo qualquer. Temos de perceber a urgência de poupar dinheiro. E perceber que é possível cortar custos e acumular algum capital.

Pagar com dinheiro

Uma dica antiga e que se foca no comportamento humano. Ao pagar com dinheiro estará a sentir uma dor associada à perda. Não é por acaso que gastamos mais dinheiro quando pagamos com cartão de crédito, dado que desassociamos o pagamento ao evento de consumo. Procure pagar com dinheiro sempre que possível, especialmente aquelas pequenas compras que nos levam grande parte do nosso dinheiro ao longo do mês.

Aproveite os subsídios

Estamos em época de recebermos os subsídios de Natal. Por norma, reservamos este rendimento para as compras de Natal, sendo que muitos entram na febre do consumo que caracteriza esta época. Aproveite parte dos subsídios para cortar alguma dívida ou para reforçar as suas poupanças de emergências. A outra parte poderá certamente destinar a presentear os seus familiares e amigos.

Faça as compras com tempo

No seguimento do ponto anterior, por que não começar já a fazer as suas compras de Natal? Aproveite que tem mais tempo disponível para fazer a sua lista de compras de Natal e para começar a pesquisar os melhores presentes e os melhores preços. Ainda tem tempo para encomendar online e para aproveitar as promoções que irão aparecer.

Poupar à grande

Finalmente, deixamos a referência a dois artigos importantes que publicámos e que se focam em estratégias de poupanças nos seus créditos e nos seus seguros. É possível cortar em muito estas despesas. Se está a usufruir de moratórias no crédito habitação, poderá aproveitar a redução da despesa para liquidar os créditos com as taxas de juro mais elevadas e com isso poupar muito dinheiro em juros. Verá que este é capaz de ser um dos investimentos mais rentáveis que irá fazer.

Ler mais
Recomendadas

Maioria dos portugueses prefere produtos que utilizam a menor embalagem possível

O recente estudo, realizado pela DS Smith e Ipsos MORI mostra que, apesar da crise global de saúde, os consumidores continuam a ter em conta o ambiente: 85% dos inquiridos querem comprar produtos que utilizem a menor embalagem possível

Deco alerta para riscos das compras através de redes sociais

Estas “lojas”, na sua maioria, não se encontram registadas como empresas em Portugal, não possuem um endereço físico de contacto, e, por vezes, não se tratam de vendas de comerciantes, mas sim vendas entre particulares, o que torna mais difícil a resolução de um possível conflito. O endereço físico da loja, ou uma morada para contacto, é essencial para reclamar em caso de conflito.

Economia circular: portugueses gastam mais de 140 euros por ano em bens usados

Em média, o consumidor português gasta 142 euros por ano em bens usados. As razões que motivam estas compras são principalmente a relação qualidade/preço e a sustentabilidade.
Comentários