PremiumDigitalização dos pés à cabeça. O que dita o sucesso dos empresários portugueses?

Nos universos do calçado e do têxtil, proliferam casos de sucesso protagonizados por empresários que não perderam o comboio da digitalização e inovação. A estes, juntam-se já alguns negócios ‘digitalmente nativos’.

Depois de mais de meio século dedicada ao calçado, garantindo nunca se ter desviado um milímetro da ideia original da criação do primeiro sapato e da marca, a portuense Ropar, fundada em 1966, chega aos dias de hoje rejuvenescida e com os pés bem fincados em 40 países, nos cinco continentes. Uma das suas bandeiras é a Arcopedico, uma marca reconhecida mundialmente.

“Pretendemos ser uma marca que prima pela proximidade, consciente e atenta às últimas tendências de moda. Para isso, integramos a tecnologia e inovação, sem nunca perder a essência que tão bem nos caracteriza. O ADN da Arcopedico é a comunicação fiel à personalidade dos produtos e uma aliança da melhor tecnologia à conservação da qualidade”, afirma ao JE, um dos sócios e neto do fundador, Elio Parodi.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPS diz que Governo Regional não tem estratégia para Turismo

Os socialistas consideram que não existe uma estratégia para acompanhar o aumento da oferta hoteleira, e defendem mais rotas e promoção para a Madeira.

PremiumLula da Silva. “A faúlha que pode incendiar a pradaria”

O Brasil está a passar por um momento de enorme tensão desde a libertação do ex-presidente. As hostes de Jair Bolsonaro olham para Lula da Silva e para a capacidade que tem de agregar vontades com uma enorme preocupação e a pergunta “onde estão os militares?” volta a fazer sentido. Entretanto, Bolsonaro está prestes a ter um novo partido, mas nada disso tem sido suficiente para estancar a derrocada da sua popularidade entre os brasileiros.

PremiumUnileite estuda exportações para a África do Sul e Irão

A Unileite, uma das maiores cooperativas de lacticínios dos Açores, fatura 80 milhões e quer crescer 10% até 2021. Lançou o novo leite de pastagem, mas prepara mais novidades como o leite com iodo e biológico, com revela o seu líder, Pedro Tavares.
Comentários