Dinamarca cobiça trabalhadores estrangeiros do Reino Unido

A incerteza do Brexit quanto ao futuro dos trabalhadores da UE naquele país motivou a Dinamarca a agir. A Confederação da Indústria Dinamarquesa diz que estes trabalhadores devem procurar emprego na Dinamarca, o que ajudaria a colmatar a crise laboral que o país atravessa.

Se o Reino Unido (RU) não garante que o Brexit não afetará as vidas dos trabalhadores da União Europeia (UE), esses trabalhadores devem começar a procurar emprego na Dinamarca. É esta a mensagem da Confederação da Indústria Dinamarquesa, que representa cerca de 10 mil empresas e que afirma ser agora a altura ideal para tentar atrair esta força laboral para o país escandinavo e lidar com a grave crise laboral que o país atravessa.

Em entrevista à Bloomberg, Steen Nielsen, responsável pela política de emprego da Confederação, afirma que os trabalhadores europeus atualmente no RU “davam jeito à Dinamarca”, e lembra a incerteza quanto ao processo do Brexit: “Não é nada claro o que vai acontecer (…) os britânicos ainda não sabem que regras irão aplicar”. Nielsen é da opinião de que a Dinamarca tem de ser proativa nos seus esforços par atrair trabalhadores atingidos pelo Brexit, porque outros países do Velho Continente – também a braços com crises laborais – estão a abrir as portas a estes trabalhadores.

A Dinamarca precisa urgentemente de eletricistas a técnicos industriais e trabalhadores de siderurgias, por isso, além de apontar baterias aos cidadãos da UE que trabalham no RU e que se sentem ameaçados pelo Brexit, Nielsen afirma querer que as autoridades facilitem o processo de integração de trabalhadores de fora da Europa, outra forma de lidar com esta crise laboral.

Carl-Johan Dalgaard, membro do Conselho Económico, afirmou à Bloomberg que “é óbvio que qualquer êxodo de trabalhadores do RU para a Europa – algo que é bastante provável – irá oferecer potenciais oportunidades às empresas dinamarquesas”.

Relacionadas

“Arrependimento” de Theresa May em relação ao Brexit coloca em causa a sua liderança

Os defensores do Brexit acreditam que há uma grande conspiração para acabar com as negociações, que permanecem presas em questões como os direitos dos cidadãos britânicos, a fatura do divórcio e a fronteira com a Irlanda.

Reino Unido pondera acordo com NAFTA se o acordo para o pós-Brexit falhar

Reino Unido estuda alternativas num cenário de ‘não-acordo’ com a União Europeia no pós-Brexit. NAFTA poderá ser uma opção.

Brexit: Holandeses a viver no Reino Unido vão receber dupla nacionalidade

Até aqui, os nacionais holandeses que pedissem cidadania britânica para evitar terem de abandonar o Reino Unido depois do Brexit, teriam de entregar o passaporte holandês.
Recomendadas

Não acordo no Brexit terá um impacto “relativamente pequeno” no mercado de trabalho alemão

Cerca de 41.000 britânicos estavam empregados na Alemanha em dezembro de 2017, um número que é “insignificante para o mercado de trabalho em geral”, revelou o governo de Angela Merkel ao “Der Spiegel”, em resposta ao partido de extrema-esquerda.

Presidente do Banco de Itália alerta para o impacto do défice mais alto sobre a dívida

Qualquer aumento nos gastos do défice que não ajude a impulsionar o crescimento econmico estrutural poderá colocar a dívida da Itália “num rumo insustentável” referiu Ignazio Visco.

Do Marquês ao e-toupeira: Sete processos que marcaram o mandato de Joana Marques Vidal

Da política, passando pelas empresas, até ao desporto, nenhum sector escapou às investigações criminais do MP. Estes foram os processos mais mediáticos que marcaram o mandato da procuradora-geral.
Comentários