Diretora financeira da Huawei acusada de fraude pelos EUA

Meng Wanzhou é acusada de “conspiração para defraudar diversas instituições financeiras”, passível de condenação a mais de 30 anos de prisão. A empresa tecnológica chinesa terá utilizado uma outra empresa, a SkyCom, para violar as sanções económicas impostas ao Irão.

As autoridades fiscais dos EUA acusam a diretora financeira (CFO) da Huawei, Meng Wanzhou, de práticas de fraude, por alegadamente ter tentado contornar as sanções económicas impostas ao Irão. A empresa tecnológica chinesa terá utilizado uma outra empresa, a SkyCom, para violar as sanções ao Irão. Como tal, os EUA pediram ao Canadá a detenção e extradição de Wanzhou.

A diretora financeira da Huawei foi detida no Canadá, a 1 de dezembro, a pedido dos EUA, como parte de uma investigação mais ampla sobre um suposto plano da empresa chinesa de utilização do sistema financeiro internacional para contornar as restrições impostas por Washington a Teerão. De acordo com a Reuters, a SkyCom terá tentado vender equipamento norte-americano ao Irão.

A Huawei é o segundo maior fabricantes de smartphones do mundo e a detenção da respetiva CFO gerou quedas em várias bolsas de valores. Wanzhou é acusada de “conspiração para defraudar diversas instituições financeiras”, passível de condenação a mais de 30 anos de prisão, segundo informou um dos advogados do Governo canadiano, na audiência judicial realizada ontem em Vancouver.

Recomendadas

“Vamos assistir à terceirização do e-commerce”, afirma presidente da ACEPI

O presidente da ACEPI, Alexandre Nilo Fonseca, considera que o ramo alimentar, “que até agora tem estado um bocadinho afastado do digital”, vai assistir a uma evolução no comércio ‘online’.

VAR provoca perdas de milhares de euros

Portugal está a adaptar-se ao VAR e se dentro do campo ainda reina a polémica, fora das quatro linhas, entre quem aposta, o cenário não muda. A ‘escaldante’ final four da Taça da Liga resultou em perdas de milhares de euros.

União Europeia facilita compras digitais mas Portugal falha prazo

“A Comissão está a acompanhar de perto a situação e em breve decidiremos as próximas medidas para garantir que todos os Estados-membros cumprem as suas obrigações”, diz Nathalie Vandystadt, porta-voz de Bruxelas.
Comentários