Diretora financeira da Huawei acusada de fraude pelos EUA

Meng Wanzhou é acusada de “conspiração para defraudar diversas instituições financeiras”, passível de condenação a mais de 30 anos de prisão. A empresa tecnológica chinesa terá utilizado uma outra empresa, a SkyCom, para violar as sanções económicas impostas ao Irão.

As autoridades fiscais dos EUA acusam a diretora financeira (CFO) da Huawei, Meng Wanzhou, de práticas de fraude, por alegadamente ter tentado contornar as sanções económicas impostas ao Irão. A empresa tecnológica chinesa terá utilizado uma outra empresa, a SkyCom, para violar as sanções ao Irão. Como tal, os EUA pediram ao Canadá a detenção e extradição de Wanzhou.

A diretora financeira da Huawei foi detida no Canadá, a 1 de dezembro, a pedido dos EUA, como parte de uma investigação mais ampla sobre um suposto plano da empresa chinesa de utilização do sistema financeiro internacional para contornar as restrições impostas por Washington a Teerão. De acordo com a Reuters, a SkyCom terá tentado vender equipamento norte-americano ao Irão.

A Huawei é o segundo maior fabricantes de smartphones do mundo e a detenção da respetiva CFO gerou quedas em várias bolsas de valores. Wanzhou é acusada de “conspiração para defraudar diversas instituições financeiras”, passível de condenação a mais de 30 anos de prisão, segundo informou um dos advogados do Governo canadiano, na audiência judicial realizada ontem em Vancouver.

Recomendadas

OCDE: Portugal é dos poucos países onde perceção sobre imigração evoluiu positivamente

Portugal foi um dos poucos países europeus onde a perceção sobre os imigrantes evoluiu mais favoravelmente nos últimos doze anos, de acordo com um relatório da OCDE, que considera o país uma “notável exceção”.

Ana Paula Vitorino garante que a próxima reunião do Porto de Setúbal “é para fechar um acordo”

Na entrevista, a ministra do Mar faz pela primeira vez as contas aos prejuízos da greve no Porto de Setúbal e revela que se a greve continuasse até ao final do ano, haveria uma redução de 70% no volume de negócios. Até ao momento, segundo a ministra do Mar, “o prejuízo ronda os 50% de um total anual de 300 milhões de euros, sem contar com o valor induzido”.

136 mil participantes e 1.200 detenções: os números dos protestos dos “coletes amarelos” este sábado

Perto de 136.000 pessoas participaram nesta jornada de mobilização, tantas quantas as que engrossaram a mobilização de 1 de dezembro, acrescentou o Ministério do Interior.
Comentários