Disparos da Pharol e dos CTT levam PSI 20 a fechar no verde

Em Lisboa, onze empresas fecharam com ganhos e sete a cair.

O principal índice bolsista português (PSI 20) fechou a sessão desta sexta-feira, 8 de novembro, a somar 0,16%, para 5.304,81 pontos. Em Lisboa, onze empresas fecharam com ganhos e sete a cair.

A contribuir para o fecho no verde do PSI 20 estiveram os ganhos dos CTT (3,55%), da Pharol (8,86%), do BCP (0,60%), da EDP (0,96%) e da EDP Renováveis (0,59%).

A Pharol registou a sua maioria subida diária em 2019, o que contribuiu para que negociasse na cotação mais alta desde 18 de setembro, 0,11 euros.

Os CTT encerraram a sessão com uma performance elevada, no dia em que a operadora postal revelou que o comércio eletrónico cresceu 17% em Portugal. De acordo com o documento “CTT e-commerce 2019”, o comércio eletrónico já vale cinco mil milhões de euros no país.

O BCP tocou em máximos de 6 de agosto durante a sessão de hoje, depois de ter reportado lucros de 270,3 milhões de euros, resultado acima das expetativas dos analistas, na quinta-feira.

Por oposição, as perdas da Coriceira Amorim, NOS e das retalhistas Sonae e da Jerónimo Martins travaram ganhos mais acentuados do PSI 20.

 

Ler mais

Relacionadas

BCP sobe lucros para 270,3 milhões até setembro

O resultado líquido do grupo foi de 270,3 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2019, impulsionado pela expansão dos proveitos core em 7,0% e pela redução das imparidades e provisões em 12,1% face ao período homólogo do ano anterior.
Recomendadas

PSI 20 em queda acompanha Europa condicionada pelos receios de propagação do coronavírus

Doze empresas cotadas desvalorizam, cinco valorizam e uma cotada negoceia sem variação na bolsa nacional.

Wall Street contagiada pelo Covid-19. Ganhos de 2020 foram anulados num dia

O petróleo também está a cair. Em Londres, o barril de Brent, referência para a Europa, tomba 4,12%, estando a negociar nos 55,55 dólares. Já o West Texas Intermediate, nos Estados Unidos, desvaloriza 3,97%, para 51,26 dólares.

Coronavírus em Itália leva a ‘mini-crash’ nas bolsas da Europa

NOS, Mota-Engil, CTT e BCP lideram nas quedas de mais de 5%. A Europa viu os mercados de ações caírem fortemente com o avanço do coronavírus no norte de Itália. O ouro acabou por ser visto como ativo de refúgio e sobe 1,81%. Ao contrário o petróleo está em queda expressiva.
Comentários