Dívida pública aumenta 7,3 mil milhões de euros em abril

Emissões de títulos de 7,2 mil milhões de euros e as obrigação do Tesouro efetuadas em abril impulsionaram o aumento, segundo o Banco de Portugal.

Depois de muita especulação, a candidatura foi enviada na quinta-feira e o ministro é agora visto como favorito. Uma reunião na Costa do Marfim entre António Costa, Emmanuel Macron e Angela Merkel terá mudado as regras do jogo.

A dívida pública portuguesa situou-se em 262,1 mil milhões de euros em abril, aumentando 7,3 mil milhões de euros relativamente ao mês anterior, altura em que se registaram 254,8 mil milhões de euros. Este aumento faz com que a dívida de abril atinja o valor absoluto mais elevado de sempre.

De acordo com os dados divulgados pelo Banco de Portugal (BdP), esta segunda-feira, o aumento foi provocado pelas “emissões de títulos de 7,2 mil milhões de euros efetuadas em abril, destacando-se uma emissão sindicada de uma obrigação do Tesouro realizada pela República Portuguesa de 5 mil milhões de euros”.

Quanto aos ativos em depósitos das administrações públicas, o BdP informa que estes aumentaram 5,3 mil milhões de euros, o que faz com que a dívida pública líquida de depósitos tenha aumentado 1,9 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 237,1 mil milhões de euros.

Ainda não representando os efeitos da pandemia, em março, a dívida pública tinha registado uma queda de 600 milhões de euros devido a um decréscimo dos títulos de dívida e das responsabilidades em depósitos, um valor que quebrou a tendência de subida que se registou em janeiro e fevereiro.

Recomendadas

António Costa deixa Haia “mais confiante” num acordo no Conselho Europeu

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje deixar Haia “mais confiante” num acordo no Conselho Europeu desta semana sobre o plano de recuperação europeu, por ter sentido também “claramente” no seu homólogo holandês “uma grande vontade” num compromisso.

Merkel manifesta incerteza sobre aprovação do plano de relançamento na cimeira europeia

A chanceler alemã Angela Merkel manifestou hoje incerteza pela possibilidade de um acordo entre os 27 países da União Europeia (UE) sobre um plano de relançamento de 750 mil milhões de euros proposto para enfrentar a pandemia do coronavírus.

Covid-19: Orçamento Suplementar da Madeira com reforço de 287,7 milhões de euros e sem agravamento fiscal

A proposta de Orçamento Suplementar da Madeira adiciona 287,7 milhões de euros ao valor aprovado para 2020, passando de 1.743 milhões de euros para 2.030 milhões, indicou hoje o vice-presidente do Governo Regional, sublinhando que não haverá qualquer agravamento fiscal.
Comentários