Docente aluga sofá a dez euros por dia para continuar a dar aulas em Lisboa

O acesso à habitação para os professores deslocados é um problema identificado, sobretudo em regiões como Lisboa, onde os preços exigidos pelo aluguer de um quarto ou habitação são incomportáveis para a maioria.

Muitos dos professores deslocados em Lisboa e Algarve vivem em condições precárias, devido aos preços das habitações e, de acordo com a edição deste sábado do “Expresso”, há quem alugue o sofá a dez euros por dia para poder dar aulas.

É o caso de uma professora de matemática, de 44 anos, com uma carreira de vinte anos, que alugou um sofá por dez euros por dia numa casa em Odivelas, onde dorme três noites por semana, para poder continuar a dar aulas em Lisboa.

De acordo com o semanário, alugar o sofá foi a única solução encontrada pela professora para continuar a dar aulas na capital pelo sexto ano consecutivo, a 300 quilómetros da sua área de residência, que é Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro.

O acesso a habitação para os professores deslocados é um problema há muito identificado, sobretudo em regiões como Lisboa, onde os preços exigidos pelo aluguer de um quarto ou habitação são incomportáveis para a maioria.

O Ministério da Educação, citado pelo jornal do grupo Impresa, fez saber que estão “em análise e em articulação com outros ministérios soluções que visem incentivar a colocação de professores em certos territórios”, sem concretizar hipóteses ou prazos.

Recomendadas

“Já se demitiram?”. Ana Gomes reage aos ‘Luanda Leaks’ e pede afastamento de Carlos Costa

Ex-eurodeputada já reagiu à revelação dos ‘Luanda Leaks’ e pergunta se Carlos Costa e Fernando Teixeira dos Santos já se demitiram.

Site da APAF pirateado numa manifestação de apoio a Rui Pinto

O site da APAF, que entretanto já voltou à normalidade, surgia com uma configuração completamente diferente da habitual, já que era apresentada com uma foto de destaque de Rui Pinto.

PremiumPSD remete alterações ao OE para depois de eleições internas

Propostas dos sociais-democratas só dão entrada no Parlamento a partir da próxima semana. Direção de Rui Rio chama a si proposta de redução do IVA da eletricidade por ter “relevo político nacional”.
Comentários