Dois milhões de europeus já pediram para ficar no Reino Unido. Polónia lidera

Só de cidadãos polacos que moram no Reino Unido foram registados 345 mil assinaturas. Os dados indicam que um em cada seis cidadãos europeus no Reino Unido entregou um pedido para se manter em território britânico.

Reuters

As negociações do Brexit permanecem num impasse enquanto a data de saída do Reino Unido da União Europeia se aproxima a passos largos. Os últimos dados referentes ao mês de setembro indicam que mais de dois milhões de pessoas pediram para permanecer no Reino Unido após o Brexit.

Os dados indicam que um em cada seis cidadãos europeus no Reino Unido entregou um pedido para se manter em território britânico. O Ministério do Interior britânico afirma que, até ao dia 30 de setembro, constavam na lista nomes de cidadãos da zona económica europeia, União Europeia e Suíça.

O maior número de pedidos foi proveniente da Polónia, com 345 mil assinaturas, seguido pela Roménia e por Itália.

O mesmo ministério indica que só no mês de setembro foram recebidos mais de 520 mil pedidos. Os responsáveis acreditam que a ameaça de um Brexit sem acordo tenha potenciado a corrida aos pedidos, embora os cidadãos europeus tenham até 31 de dezembro de 2020 para preencher os papéis para ficar em território britânico.

O secretário do Interior, Priti Patel, afirmou que “os cidadãos da União Europeia deram uma enorme contribuição a este país e vão desempenhar um papel fundamental na consolidação do status do Reino Unido como líder global após o Brexit”. “É por isso que estou emocionado por termos recebido dois milhões de pedidos no sistema, para que os cidadãos possam garantir o seu status de imigração sob a lei do Reino Unido”.

Relacionadas

Parlamento britânico ficará suspenso a partir de hoje durante “o menor tempo possível”

Até dia 19 de outubro, os trabalhos dos parlamentares britânicos ficarão congelados. Os deputados serão reconvocados na segunda-feira, a data em que também teriam regressado se a primeira suspensão, de cinco semanas, tivesse sido cumprida na íntegra.

Do Brexit à recessão alemã. Estes são os ‘fantasmas’ de Costa para os próximos quatro anos

O abrandamento económico a nível global irá levar o FMI a rever em baixa as projeções para 2019 e 2020. Do Brexit (que já terá impedido que 2 mil milhões entrassem na nossa economia) à recessão na Alemanha (que deverá ter um efeito dominó), estes são as principais preocupações de Costa e Centeno para os próximos quatro anos.

Boris Johnson diz a Angela Merkel que um acordo para o Brexit é “praticamente impossível”

União Europeia quer que Irlanda do Norte continue na união alfandegária para mitigar o impacto do Brexit na fronteira terrestre com a República da Irlanda, mas Londres rejeita esta hipótese.
Recomendadas

PremiumPSD remete alterações ao OE para depois de eleições internas

Propostas dos sociais-democratas só dão entrada no Parlamento a partir da próxima semana. Direção de Rui Rio chama a si proposta de redução do IVA da eletricidade por ter “relevo político nacional”.

PremiumCarlos Zorrinho: “OE foi muito tático na forma como foi discutido e votado”

Eurodeputado eleito pelo PS entende que as abstenções do BE, PCP, PEV e Livre mostram vontade de continuar a negociar com o Governo. E defende uma transição digital e energética “mais justa” e concorda com propostas de redução do IVA da eletricidade.

“Este governo tem um problema que é a imprevisibilidade”

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, à Antena1/Jornal de Negócios, diz que “este governo tem um problema que é a imprevisibilidade”, uma vez que não há acordo com os partidos à esquerda e por isso não se sabe que posição vão tomar.
Comentários