Dona da Nowo assegura espetro em Portugal para construir rede 4G

O jornal espanhol “Expansión” dá conta que, ao adquirir espetro, a MásMóvil prepara-se para construir uma rede 4G em Lisboa, Porto e Algarve, competindo diretamente com os operadores históricos Meo, NOS e Vodafone.

Presidente do Conselho de Administração da Nowo, Miguel Venância, e o CEO do Grupo MásMóvil, Meinrad Spenger | Foto cedida

O grupo espanhol de telecomunicações MásMóvil, que está presente em Portugal através do operador Nowo, ganhou os três lotes na faixa dos 1.800 MHz na primeira fase do leilão da quinta geração da rede móvel (5G). Apesar de estar integrada no leilão do 5G, esta parte do espetro é essencial, sobretudo, para os serviços da quarta geração da rede móvel (4G).

A informação foi avançada na quarta-feira pelo jornal espanhol “Expansión”. O Jornal Económico contactou a Nowo, mas ainda não obteve respostas. Em vésperas do leilão do 5G arrancar, a MásMóvil tinha anunciado a sua intenção de participar no concurso.

O jornal espanhol dá conta que, ao adquirir espetro, a MásMóvil prepara-se para construir uma rede 4G em Lisboa, Porto e Algarve, competindo diretamente com os operadores históricos Meo, NOS e Vodafone. Mas a rede 4G que será criada poderá não ser uma rede própria, uma vez que, tratando-se de um novo entrante, o novo operador poderá estabelecer acordos de roaming nacional e, assim, utilizar parte das infraestruturas dos operadores já instalados para assentar a sua rede.

De referir que a MásMóvil terá garantido os três lotes na faixa dos 1.800 MHz por 18,117 milhões de euros cada, ao fim de oito dias e 44 rondas de licitação.

Segundo os dados da Autoridade Nacional de Comunicações, a primeira fase de licitação do leilão 5G, que se iniciou no dia 22 de dezembro de 2020, chegou ao fim no dia 11 de janeiro. Esta primeira fase consistiu no leilão de lotes nas faixas dos 900 Mhz e dos 1.800 MHz, reservada apenas para novos entrantes (potenciais novos players do mercado português), gerando um encaixe superior a 84 milhões de euros.

 

Ler mais
Recomendadas

TAP propõe acordo com tripulantes para vigorar até final de 2024

O acordo, segundo o qual “as medidas acordadas referentes a retribuições e outras prestações pecuniárias, retributivas ou não, produzem efeitos a 1 de janeiro de 2021”, estabelece a suspensão “das tabelas salariais e remuneratórias em vigor à data da entrada em vigor deste acordo, incluindo as constantes de normativo específico de cada função e/ou de acordos individuais”.

Turismo do Centro apresenta novas iniciativas para as Rotas das Invasões Francesas

O destaque vai para a apresentação das rotas turísticas relativas à Terceira Invasão Francesa, que teve início em julho de 1810 e terminou em abril de 1811. No território nacional, a invasão iniciou-se em Almeida e continuou para o Bussaco, onde teve lugar uma importante batalha, tendo terminado nas Linhas de Torres Vedras, de onde os franceses retiraram em perda.

Pilotos do porto de Aveiro resgatam navio da ETE

Depois de ativados os procedimentos de segurança, os serviços técnicos de pilotagem do porto de Aveiro em colaboração com os rebocadores e em articulação com a Capitania, “a operação do salvamento do navio e tripulação foi realizada com sucesso, encontrando-se o navio atracado em segurança”.
Comentários