Doutor Finanças quer contratar mais de 20 pessoas

Empresa pretende reforçar a equipa com candidatos com experiência mínima de até dois anos para a função de ‘intermediário de crédito’ e recém-licenciados em gestão, contabilidade ou finanças para a função de ‘especialista de crédito júnior’.

A Doutor Finanças está a recrutar mais de vinte colaboradores para reforçar a equipa face “ao aumento do volume de pedidos de ajuda das famílias portuguesas”.

Desta forma, a empresa especializada em finanças pessoais e familiares, retomou o processo de recrutamento que se encontrava suspenso desde março, por causa da pandemia da Covid-19.

A empresa está à procura de candidatos com perfil concretos para desempenhar as funções de “intermediário de crédito com experiência” e “especialista de crédito júnior”.

No primeiro caso, a empresa requer que os candidatos tenham uma experiência mínima de dois anos em funções similares, que sejam certificados em intermediação de crédito e em comercialização de crédito hipotecário.

No segundo caso, a Doutor Finanças pretende recrutar recém-licenciados que tenham estudado gestão, contabilidade ou finanças.

Os interessados deverão aceder à página de recrutamento da empresa, na qual devem ser submetidas as candidaturas de emprego.

Ler mais
Recomendadas

Esta é a chave vencedora do Euromilhões

Em jogo está um ‘jackpot’ de 143 milhões de euros.

Governo admite que Programa de Arrendamento Acessível ficou aquém das expectativas

“Não, eu queria mais. Nós neste momento ainda não chegámos às três centenas de contratos já firmados. Não nos chega, nós queremos muito mais”, afirmou a secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho.

Deco mostra dúvidas sobre preços praticados nas teleconsultas

Relativamente às consultas do setor privado, a DECO tem registado algumas dúvidas sobre os preços praticados. A principal relaciona-se com a justiça de uma consulta por videochamada apresentar o mesmo custo económico para o utente. Essa é uma questão que deve ser respondida com urgência.
Comentários