“É o pior dos momentos para haver crise económica”, avisa Marcelo

O Presidente da República falou com otimismo na aprovação do Orçamento “porque isso é uma condição de estabilidade política institucional e, obviamente, económica e financeira, num tempo que é um tempo complicado no mundo, complicado na Europa”.

Twitter

Marcelo Rebelo de Sousa comentou esta sexta-feira a aprovação do Orçamento do Estado 2020, reiterando que “aconteceu aquilo que eu previa quando disse que não estava preocupado com a passagem do Orçamento do Estado, nomeadamente, na generalidade”.

O Presidente da República falou com otimismo na aprovação do Orçamento “porque isso é uma condição de estabilidade política institucional e, obviamente, económica e financeira, num tempo que é um tempo complicado no mundo, complicado na Europa”.

Marcelo Rebelo de Sousa recordou que o Presidente da República “não tem poder de dissolução do Parlamento até abril e deixa de ter a partir de setembro até ao final do mandato”. Assim, o chefe de Estado realçou que este “é o pior dos momentos para haver crise económica, financeira ou política. Por isso tudo o que seja um sinal de estabilidade é bom”.

Relacionadas

Oficial: Orçamento aprovado na generalidade com abstenção da esquerda e do PSD Madeira

Os três deputados da Madeira abstiveram-se, indo contra o sentido de voto do PSD nacional, que votou contra tal como o CDS, Chega e da Iniciativa Liberal.
Recomendadas

Andebol, basquetebol, futsal, patinagem e voleibol regressam no dia 22 de agosto

As respetivas federações estiveram hoje reunidas, por videoconferência, com representantes da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto a “finalizar a análise ao Protocolo Orientador de Regresso aos Treinos e Competições – Covid-19”, que permita consumar as pretensões destas modalidades.

PSD quer reuniões quinzenais sobre situação epidemiológica no país

A bancada liderada por Rui Rio, que também é o presidente do partido, sublinha que é necessário “adotar, na nova fase que se avizinha, um novo modelo” que dê privilégio à “função parlamentar na defesa da saúde pública”.

Número de pessoas infetadas em Angola sobe para os 462

O secretário de Estado indicou que a percentagem de testes reativos é inferior ao que era previsto, sendo a maior parte pessoas que expressaram imunidade e “poucas pessoas que estão em fase ativa da doença”.
Comentários