e.UTIL é hoje apresentada. As PME vão querer conhecê-la

A Associação Industrial Portuguesa apresenta hoje, às 9h00, na sua sede, em Lisboa, a e.UTIL – Plataforma Digital de Compras Agregadas de Utilities para PME.

Questionado sobre os objetivos desta plataforma, apoiada pelo Compete no âmbito do Portugal 2020, José Eduardo Carvalho, presidente da AIP – Associação Industrial Portuguesa, explica, ao Jornal Económico, que passam por agregar consumos de PME, “neste caso concreto de fornecimento de energia elétrica e aumentar a capacidade negocial das mesmas”. Através desta plataforma, “vamos fazer leilões de consumo agregado dessas PME, aumentando a capacidade negocial e reduzindo o preço de aquisição. E esses leilões serão agregados do ponto de vista setorial”, acrescenta.

Numa segunda fase, a AIP estenderá a outras utilities, entre elas, gás natural e consumíveis.

Ainda sobre as metas traçadas para esta operação, José Eduardo Carvalho sublinha que irá introduzir um novo fator de competitividade no mercado de fornecimento de energia elétrica, na medida em que fará a diferença através da redução do custo. “O que vamos fazer são leilões para consumos industriais, da mesma forma como a DECO fez há três anos para consumos domésticos”, reforça.

Para esta apresentação pública está agendada a intervenção do secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, e dois debates subordinados aos temas: “Experiências Internacionais de Compras Agregadas” e “Compras Agregadas de Utilities – O Desafio para as empresas”.

Recomendadas

Reino Unido vai lançar novo pacote de estímulos à economia

“Estamos a tentar identificar projetos prontos para começar. Queremos avançar com isso”, afirmou um membro do governo britânico ao “Financial Times”.

Retoma da economia traz novos desafios ao país

Endividamento e tesouraria das empresas portuguesas encontram-se entre as principais fragilidades apontadas pelos analistas. Apesar da quebra provocada pela pandemia de Covid-19, o setor do turismo pode surpreender.

Respostas rápidas: Como vai funcionar o novo Instrumento de Apoio à Solvabilidade europeu

O novo instrumento temporário proposto pela Comissão Europeia é dirigido a empresas “economicamente viáveis”, mas que enfrentam problemas de solvabilidade provocados pela crise da Covid-19. Quer desbloquear 300 mil milhões de euros para empresas situadas na União Europeia e um dos critérios de acesso é que com base nas contas de 2019 não apresentassem já necessidades de auxílios.
Comentários