Ecoinside escolhe primeira empresa para usufruir de fundo de 15 milhões para financiar projeto sustentável

A central fotovoltaica instalada será responsável pela produção de quase 32% das necessidades energéticas do supermercado, vai evitar que mais de 51 toneladas de CO2 sejam lançadas anualmente para a atmosfera e permitir a poupança de mais de 3 mil euros mensais.

A empresa ambiental tecnológica estreou, esta quarta-feira, o fundo de investimento em projetos de energias renováveis no valor de 15 milhões de euros. A notícia já tinha sido avançada pelo Jornal Económico em entrevista ao CEO da Ecoinside.

A primeira empresa a usufruir do fundo da Ecoinside é a Telbac, em Amarante, onde foi feito na instalação de mais de 1,100 metros quadrados de painéis fotovoltaicos, o equivalente à área de uma piscina olímpica.  A empresa do setor dos congelados Telbac vai beneficiar da partilha da poupança gerada pela central que se vai traduzir em cerca de 3 mil euros mensais.

A central fotovoltaica instalada será responsável pela produção de quase 32% das necessidades energéticas do supermercado no Porto e vai evitar que mais de 51 toneladas de CO2 sejam lançadas, todos os anos, para a atmosfera, tendo um impacto equivalente ao da plantação de cerca de 780 árvores.

O fundo agora inaugurado foi criado depois da empresa ter sido confrontada com um eventual recuo no investimento no setor da sustentabilidade devido à Covid-19, por parte de antigos e novos clientes. António Cunha Pereira considera que os projetos que usufruírem deste investimento ” são interessantes mas que, por receio dos decisores, podem ser adiados”.

A Ecoinside já tem agendados 10 projetos que vão utilizar este fundo de investimento, ainda durante este ano, medida que pretende auxiliar as empresas portuguesas a cumprirem com as metas do Portugal 2030, que estabelecem que, já no início da próxima década, Portugal deve contar com 80% da sua energia a ser fornecida a partir de fontes renováveis e com uma redução de 50% das emissões de carbono.

Recomendadas

Aeroporto de Beja “tem de ser aproveitado e valorizado”, garante ministra

Ana Abrunhosa falou ainda à “Antena 1” e “Negócios nos descontos nas ex-SCUT do interior do país, descartando avançar com uma data para avançarem, depois de ter dito no parlamento que medida entraria em vigor no terceiro trimestre. “Está a ser finalizada e oportunamente será comunicada”, diz.

Itália revê em alta projeções macroeconómicas e antecipa queda de 9% do PIB em 2020

O mesmo acontece em relação ao aumento da dívida pública para números entre os 158 e 159% do Produto Interno Bruto, depois de ter sido antecipado um cenário de 155,7% no início do segundo trimestre deste ano, por parte do governo transalpino.

Indústrias conserveiras ibéricas unem esforços para defender setor a nível europeu

A ANICP e a Anfaco-CEcopesca defendem que os acordos de comércio livre bilateriais da Europa com países terceiros, devem ter em consideração, não apenas a especificidade da indústria e a sua importância para as comunidades locais, como a concorrência desleal feita alguns destes países.
Comentários