Economia da Suíça pode contrair até 10,4% devido à Covid-19

As anteriores previsões do governo apontaram para uma contração de 1,5% da economia, caso tivesse de ocorrer uma paralisação prolongada que provocasse desemprego no país.

Genebra, Suíca

A economia da Suíça pode contrair até 10,4% este ano devido à pandemia de Covid-19, apontou o o governo suíço esta quarta-feira, 8 de abril, segundo a ‘Reuters’.

As anteriores previsões do governo apontaram para uma contração de 1,5% da economia, caso tivesse de ocorrer uma paralisação prolongada que provocasse desemprego no país. As mesmas previsões apontavam que a recuperação da crise seria fraca mas que em 2021 iria crescer 3,4%.

Na perspetiva de uma contração de 1,5% estava ainda previsto o encerramento prolongado das fronteiras com os outros países. Na sua previsão económica, o governo perspetivava uma contração de 7,1%, antes de uma forte recuperação em 2021.

O governo suíço estendeu as restrições até ao próximo dia 26 de abril, embora assumisse a possibilidade de afrouxar gradualmente algumas medidas que foram aplicadas este mês, como o controlo das fronteiras e o encerramento de escolas.

“Para uma eliminação bem-sucedida das medidas aplicadas, devem ser cumpridos certos requisitos”, sustentou o governo esta quarta-feira. Atualmente, a Suíça conta com 23.248 casos de infeção e 893 óbitos, existindo ainda 9.800 pessoas recuperadas no país.

Recomendadas

Infografia | Lisboa e Vale do Tejo a ‘vermelho’. Concelhos de Lisboa e Sintra somam 77 infetados nas últimas 24 horas

Números revelados pelo último boletim epidemiológico Direção-Geral de Saúde mostram que a região de Lisboa e Vale do Tejo continua a liderar largamente os dados das novas infeções, sendo responsável por 90% dos infetados diários a nível nacional. Por concelhos, Lisboa e Sintra é onde se regista um maior crescimento do número de infetados por Covid-19.

Ministra admite que a precariedade na Cultura está “mais visível” mas sem solução “em dois meses”

Segundo a ministra, o Governo está “a trabalhar” e assumiu “o compromisso de, ao longo deste ano, resolver as questões laborais, de carreiras contributivas” ou “de descontos” destes profissionais, entre outras matérias.

Lisboa e Vale do Tejo com 90% dos novos casos

Os 382 novos casos reportados estão distribuídos regionalmente da seguinte forma: Lisboa e Vale do Tejo 345, Norte 21, Centro 10, Alentejo três, Algarve dois e Açores um. A Região Autónoma da Madeira não registou novas infeções nas últimas 24 horas.
Comentários