Economia de Schrödinger

A verdadeira situação da economia portuguesa é um mistério. Se fossem retiradas as medidas de apoio e as moratórias, qual seria o impacto? Quantos mortos-vivos temos na economia?

Na famosa experiência teórica do “gato de Schrödinger”, a física quântica diz-nos que o animal pode estar vivo e morto ao mesmo tempo! Além disso, para se ter a certeza da sua condição, é necessário provocar uma interferência que lhe provocaria uma morte certa.

Por se tratar de algo muito próximo a um paradoxo, é difícil interiorizar as consequências desta experiência e há muito que procuro transpor o “gato” para outros exemplos.

A situação da economia portuguesa, nomeadamente de muitas famílias e empresas, parece ser um “gato de Schrödinger”. Segundo os dados do Banco de Portugal, 32% dos empréstimos a empresas (24,4 mil milhões de euros) e 17% dos empréstimos a particulares estavam em moratória, a proporção mais elevada em toda a União Europeia. Por outro lado, as empresas estão a beneficiar de linhas de crédito com custos muito baixos, garantidas pelo Estado a 80%, e de várias medidas de apoio à manutenção do emprego.

É verdade que, mesmo afetadas pela pandemia, muitas empresas e famílias continuam de boa saúde económica e financeira e estão apenas a aproveitar estas medidas para robustecer a sua posição. Mas é quase certa a existência de bastantes casos em que as medidas apenas estão a adiar falências e incumprimentos.

E é aqui que aparece o “gato de Schrödinger”: há certamente muitas empresas e empregos que já estão destruídos só que ainda não sabemos. São mortos-vivos. E, como na experiência, para saber se o gato ainda está vivo, temos de abrir a caixa – ou seja, retirar as medidas – provocando imediatamente a sua morte. Saber quando se vai “abrir a caixa” e quem vai pagar esta “experiência” são duas perguntas cruciais para os próximos anos.

Recomendadas

Wall Street recupera devido a entusiasmo em torno dos resultados das gigantes tecnológicas

O industrial Dow Jones termina o dia a somar 0,24% para 35.144,31 pontos, o S&P 500 avança 0,24% para 4.422,23 pontos e o tecnológico Nasdaq valoriza 0,03% para 14.840,70 pontos.

Benfica financia-se em 35 milhões junto de 1.900 investidores

A procura situou-se nos 35,179 milhões de euros, um valor muito próximo dos 35 milhões da oferta. 88 subscritores investiram um valor superior a 50 mil euros cada.

PSI 20 fecha no verde em dia de resultados da Galp Energia e BCP

O índice lisboeta beneficiou da forte prestação dos títulos do BCP na antecâmara da divulgação dos seus resultados trimestrais, que são conhecidos após o fecho da sessão.
Comentários