Orçamento familiar: como prevenir o incumprimento?

Recorrer a créditos pessoais para pagar créditos já existentes não deve ser uma alternativa a considerar. É ainda essencial ter uma atitude preventiva e antecipar eventuais dificuldades de cumprimento.

As finanças pessoais exigem controlo e planeamento para que o incumprimento não faça parte da equação da vida financeira familiar. É importante ter um orçamento familiar com despesas fixas e despesas variáveis bem identificadas, de modo a conseguir responder a imprevistos.

“A procura de uma solução para o problema não deve ser adiada. Os devedores com prestações em atraso estão sujeitos ao pagamento de juros de mora e de outros encargos e, nas situações mais graves, os seus bens podem ser penhorados”, salienta o Plano Nacional de Formação Financeira (PNFF).

O que não deve fazer:

Recorrer a créditos pessoais para pagar créditos já existentes não deve ser uma alternativa a considerar. “Esta opção pode permitir um alívio financeiro, mas é temporário, uma vez que as dívidas aumentam e, muitas vezes, as taxas de juro dos novos empréstimos são mais elevadas, gerando-se um efeito de “bola de neve”, que agrava a situação”, explica o PNFF.

O que deve fazer:

Antes de pedir um crédito, deve primeiramente ponderar se tem rendimentos suficientes para assegurar o pagamento das dívidas que pretende contrair. Neste sentido, é de máxima importância olhar para o seu orçamento familiar, já que as prestações do crédito constituem uma despesa mensal fixa e têm impacto até à amortização total do empréstimo.

Neste mapeamento, avalie todos os créditos contraídos. Pode solicitar o mapa de responsabilidades de crédito à Central de Responsabilidades de Crédito, disponibilizada pelo Banco de Portugal, explica o Plano Nacional de Formação Financeira. Este mapa apresenta todas as responsabilidades de crédito já assumidas e as responsabilidades de crédito potenciais, nomeadamente o plafond do cartão de crédito que não tenha sido utilizado.

É ainda essencial ter uma atitude preventiva e antecipar eventuais dificuldades de cumprimento. No caso de imprevistos que o possam colocar em risco de incumprimento é importante analisar mais uma vez o orçamento familiar, de modo a avaliar quais as despesas que poderá cortar para reequilibrar as contas. Será ainda importante entrar em contacto com a instituição de crédito, alertando para a possibilidade de não conseguir pagar as prestações do crédito.

 

Ler mais
Recomendadas

Sabe quanto paga ao banco em comissões abusivas? Há um simulador que ajuda no cálculo

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor diz-lhe quanto vai pagar a mais se a lei referente às comissões de processamento do crédito não mudar entretanto.

Crédito Habitação: qual o perfil e preferências dos portugueses?

Tendo por base os dados dos últimos 10 mil utilizadores do ComparaJá.pt, o portal de comparação financeira revela qual o perfil e preferências de quem solicita crédito habitação. Conheça as principais conclusões do Barómetro do Crédito Habitação 2020.

Ações de combate à fraude e evasão fiscal permitiram recuperar 1,7 mil milhões de euros

O Ministério das Finanças entregou esta semana no Parlamento o relatório do combate à fraude e evasão fiscais. Mais de 130 mil ações do fisco permitiram ao Estado recuperar 1,7 mil milhões de euros no ano passado, mais 381 milhões face ao previsto.
Comentários