EDP assina novo contrato energético no Brasil

Em causa está a venda de energia gerada pelo parque solar de Lagoa, em Paraíba, com uma capacidade total de 66 megawatts.

A EDP – Energias de Portugal anunciou esta segunda-feira que, através da subsidiária EDP Renováveis, chegou a acordo para um Contrato de Aquisição de Energia (CAE) no estado brasileiro de Paraíba.

O contrato em causa tem a duração de 19 anos e compreende a venda de energia gerada pelo parque solar de Lagoa, cujo projeto tem uma capacidade total de 66 megawatts (MW), de acordo com a informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo a empresa liderada por António Mexia, as operações em Paraíba deverão ter início em 2022. “Com este novo contrato, a EDP reforça a sua presença num mercado com baixo perfil de risco, através do estabelecimento de contratos de longo prazo, recursos renováveis atraentes e perspetivas sólidas a médio e longo prazo”, refere a energética.

A EDP adianta ainda, em comunicado publicado antes da abertura do mercado, que o seu portefólio deverá chegar aos 1,3 gigawatts (GW) de capacidade já no próximo ano. “Após este novo acordo, a EDP tem atualmente contratado 5,3 GW dos 7 GW de capacidade global prevista para o período de 2019-22, conforme anunciado no Strategic Update de 12 de março de 2019”, pode ler-se no mesmo documento, divulgado esta manhã pela CMVM.

Recomendadas

Coronavírus: companhias aéreas já perderam dois mil milhões em bolsa

Entre as companhias aéreas mais afetadas destacam-se a International Airlines Group (IAG) detentora da British Airways, Iberia, Air Europa e Vueling, que registou perdas superiores a 6%.

Ângelo Paupério é o novo chairman da NOS

O atual Co-CEO da Sonae SGPS é o escolhido para substituir Jorge Brito Pereira que apresentou a sua demissão na semana passada devido ao processo Luanda Leaks.

Quer saber a velocidade da sua internet? Consulte a plataforma net.mede

Através desta plataforma, os consumidores dos serviços móveis das empresas de telecomunicações conseguem comparar a velocidade efetiva que o serviço regista com a velocidade de internet contratada.
Comentários