EDP avalia pilotos com mais três startups

A startup britânica Vyntelligence venceu o programa mundial de aceleração Free Electrons, que terminou esta quinta-feira com uma cerimónia em formato digital.

A quarta edição do programa mundial de aceleração “Free Electrons” terminou esta quinta-feira, tendo culminado com a vitória da startup britânica Vyntelligence. As dez gigantes enérgicas envolvidas na iniciativa, entre as quais a EDP, premiaram a empresa com 200 mil dólares (cerca de 171 mil euros) pela sua solução de smart vídeo e inteligência artificial que simplifica e melhora a captura de dados.

A grande vencedora irá colaborar com a empresa liderada por Miguel Stilwell d’Andrade, permitindo-lhe testar a ferramenta de vídeo inteligente para facilitar a entrega de relatórios de operações no terreno. “A catalogação e identificação correta dos vídeos capturados pelos técnicos de campo irão também permitir à EDP otimizar os processos de campo e entregar um serviço mais competitivo”, explica a EDP, em comunicado.

Além da Vyntelligence, as duas startups holandesas Net2Grid e Chargetrip também captaram o interesse da EDP que, através da EDP Comercial, encontra-se a desenvolver projetos-piloto com este trio. Contudo, a utility portuguesa informa ainda que está “a avaliar também projetos-piloto com outras três startups” – provavelmente, do leque de finalistas do programa de 2020.

A cerimónia de entrega dos galardões ocorreu hoje por meios telemáticos. “A decisão de avançar para um formato 100% digital aconteceu ainda antes do período de confinamento na Europa, uma vez que fazem parte do Free Electrons outros parceiros da Ásia e Austrália que já se encontravam em estado de emergência devido à pandemia. Cancelar ou adiar nunca esteve em cima da mesa, pois o espírito do programa é o de «fazer acontecer» e obter resultados. A verdade é que foi uma edição diferente, porém com resultados extraordinários”, afirma Carla Pimenta, responsável pelo Startup Engagement na EDP Inovação.

As fundadoras do Free Electrons além da EDP são a Ausnet Services (Austrália), DEWA (Dubai), ESB (Irlanda), Innogy (Alemanha), Origin Energy (Austrália), SP Group (Singapura) e Tokyo Electric Power Company (Japão), mas desde 2018 que a American Electric Power (Estados Unidos) e a CLP (Hong Kong) também fazem parte do grupo. No âmbito deste programa, apoiado em Portugal pela Beta-i, já foram realizados mais de 100 pilotos e investidos cerca de 20 milhões de euros em startups.

Recomendadas

Incubadora de empresas em Palmela abre amanhã

Localizado em Pinhal Novo, o espaço foi remodelado e conta com seis gabinetes individuais, seis salas de utilização comum e zonas de apoio. O município presidido por Álvaro Manuel Balseiro Amaro quer atrair startups e acredita que este local permitirá às empresas – ou apenas empreendedores com uma ideia de negócio – desenvolverem “trabalho em rede”.

Fintech House e Imprensa Nacional Casa da Moeda fazem acordo para apoiar startups

Entre as iniciativas que serão organizadas no âmbito deste acordo estão eventos como as “INCM Summer Sessions” e os “Identity Trends”, no qual se abordarão as principais tendências no âmbito da identidade digital e que se realiza no próximo mês de setembro.

Saiba quais são as empresas finalistas do Starter Business Acceleration 2021

A edição deste ano do Starter Business Acceleration vai decorrer totalmente num formato virtual e procura projetos que se debrucem sobre a inovação digital, acesso à energia.
Comentários