EDP reforça na EDP Renováveis para 74,98%

O reforço ocorre pela devolução das ações da EDPR que estavam emprestadas ao Citi e o Morgan Stanley para efeitos do processo de accelerated bookbuilding. EDP Renováveis concluiu hoje o aumento de capital de 1,5 mil milhões.

Nesta sexta-feira, a EDP aumentou, numa base totalmente diluída, a sua participação qualificada na EDP Renováveis, de 72,44% para 74,98% do respectivo capital social e direitos de voto.

Este aumento na participação qualificada da EDP na EDPR é o resultado da devolução de 88.250.000 ações representativas do capital social da EDP Renováveis à EDP por parte dos bancos Citigroup Global Markets Europe AG e a Morgan Stanley Europe SE, que tinham as ações emprestadas na sequência de um empréstimo executado a 5 de março de 2021, pela EDP aos bancos, para efeitos do processo de accelerated bookbuilding lançado em 2 de março de 2021 e concluído em 3 de março de 2021, tal como anteriormente comunicado ao mercado pela EDP Renováveis.

Mas agora a EDP recebe de volta as ações emprestadas da EDP Renováveis que estavam nas mãos dos bancos, e que representam agora (numa base totalmente diluída) aproximadamente 9,19% do capital social e dos direitos de voto da EDP Renováveis, na sequência do aumento de capital social da desta subsidiária aprovado na Assembleia Geral de 12 de abril de 2021.

As ‘novas’ ações da EDP Renováveis foram esta sexta-feira admitidas à negociação. Em causa um aumento de capital de 1,5 mil milhões de euros para financiar o plano de investimentos de 19 mil milhões que tem para implementar até 2025.

Recomendadas

Philip Morris quer ter maioria da receita proveniente de produtos sem fumo em 2025

Novo presidente-executivo da maior empresa do mundo de produção e comercialização de tabaco dá Portugal como exemplo de um mercado que está a dotar rapidamente as novas tecnologias de produtos de tabaco sem combustão.

Resultado líquido dos CTT mais que duplicou para 8,7 milhões no primeiro trimestre

Lucro trimestral dos CTT cresceu em termos homólogos 136,3%. O aumento das encomendas impulsionou o crescimento das receitas, o que proporcionou o lucro de 8,7 milhões de euros, segundo as contas divulgadas esta quinta-feira.

Trabalhadores da CP e da IP vão estar em greve a 27 de maio

Os trabalhadores reivindicam aumentos salariais para todos, a redução do horário de trabalho para as 35 horas, o trabalho com direitos, o respeito pela contratação coletiva, a redução da idade de reforma e a melhoria do serviço público prestado.
Comentários