EDP Renováveis é uma das 50 empresas mais sustentáveis do mundo

O contributo da EDPR na mitigação das alterações climáticas e promoção das energias renováveis em mercados emergentes cederam-lhe um lugar no índice composto pela operadora das principais bolsas da Alemanha, a Boersen AG,

A EDP Renováveis (EDPR) foi considerada como uma das 50 empresas a nível mundial que está mais empenhada com o desenvolvimento sustentável através dos seus produtos e serviços à escala global. A lista foi composta pelo índice Global Challenges (GCX) elaborada pela empresa Boersen AG, operadora das principais bolsas da Alemanha.

A incorporação de EDPR deve-se ao reconhecimento do contributo por parte da empresa na mitigação das alterações climáticas e dos esforços de transição para um sistema elétrico mais sustentável, enquanto promove o desenvolvimento das energias renováveis em mercados emergentes. Simultaneamente, destaca as garantias implementadas pela empresa para minimizar os riscos sociais e ambientais no funcionamento da empresa.

O índice GCX valoriza ainda as medidas e políticas implementadas pela empresa para minimizar os riscos sociais e ambientais na sua própria atividade.

“A nossa inclusão num índice de reconhecimento global como o GCX motiva-nos como empresa para continuar o nosso percurso em prol de uma transição energética responsável em todo o mundo”, destaca Rui Antunes, diretor de relações com investidores e sustentabilidade da EDP Renováveis, em comunicado.

A empresa adianta ainda que este reconhecimento dedicado ao desenvolvimento das energias renováveis “deve-se ao seu contributo na ação climática global e aos investimentos contínuos na transição para um sistema elétrico mais sustentável e no desenvolvimento de projetos de energia renovável”.

A energética portuguesa é a quarta maior produtora de energia eólica a nível mundial, integrando vários índices e rankings globais, como é o caso do FTSE4Good, do Dow Jones Sustainability Indexes, do CDP ou do Forum Ethibel.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários