EDP vai continuar a “analisar oportunidades” na energia solar e hidrogénio verde em Portugal

Miguel Stilwell de Andrade, o novo presidente executivo da maior empresa da bolsa de Lisboa, esteve hoje reunido com os jornalistas depois de ser nomeado para o cargo pelos acionistas. “Estamos sempre disponíveis para analisar oportunidades que possam existir de investir” na energia solar e hidrogénio verde em Portugal.

O novo presidente executivo da EDP e da EDP Renováveis garante que a elétrica vai continuar muito atenta a possíveis investimentos em Portugal na área das energias e gases renováveis.

Apesar da empresa ir anunciar o novo plano estratégico até 2025 em breve, até ao final do primeiro trimestre, o gestor aponta que investimentos em Portugal vão fazer parte do roteiro da EDP.

“Temos uma estratégia global para tudo o que seja transição energética, e obviamente que o solar e hidrogénio fazem parte dessa iniciativa de descarbonização da economia. É um desígnio politico em Portugal, na Europa e nos Estados Unidos”, começou por dizer Miguel Stilwell de Andrade em conferência de imprensa esta terça-feira, 19 de janeiro.

“Relativamente ao solar e hidrogénio em Portugal, obviamente que estamos sempre disponíveis para analisar oportunidades que possam existir de investir. Temos todo o gosto de investir em Portugal, imagino que sejamos ainda o maior português em Portugal, nomeadamente através da área de distribuição, e também através do projeto solar que temos que ganhamos no leilão de 2019”, afirmou o novo presidente executivo da EDP.

“Continuaremos a analisar oportunidades que possam surgir neste âmbito em Portugal, mas também noutras geografias”, declarou Miguel Stilwell de Andrade.

Miguel Stilwell de Andrade obteve 99,8% de votos favoráveis. Do total de acionistas, quase 74% marcaram presença na AG extraordinária que teve lugar esta terça-feira e que marcou o fim da presidência de António Mexia que esteve 15 anos no cargo.

A sua equipa vai ser constituída por Miguel Setas (líder da EDP Brasil), Rui Teixeira (líder da EDP Espanha e presidente interino da EDP Renováveis), Vera Pinto Pereira (líder da EDP Comercial) e Ana Paula Marques, que saiu do conselho de administração executivo da NOS para a EDP. Resta saber agora como é que vão ser distribuídas as competências entre os diferentes administradores até 2023.

A China Three Gorges é a maior acionista da EDP, com 19,03%. Seguem-se os espanhóis da Oppidum Capital com 7,20%, sociedade detida em 55,9% pela Masaveu Internacional, SL., com os restantes 44,1% detidos pelo Liberbank, e os norte-americanos do fundo Blackrock com 5,06%. Depois, na quarta posição surgem os noruegueses do Norges Bank (2,95%), seguidos do Alliance Bernstein (2,68%), dos argelinos do Sonatrach (2,19%) e da Qatar Investment Authority (2,09%).

Ler mais
Relacionadas

Stilwell: “Neste momento não está nos planos tirar EDP Renováveis de bolsa”

Miguel Stilwell de Andrade e a sua equipa foram hoje eleitos por 99% dos acionistas para liderar o grupo EDP até 2023. Com 83% da EDP Renováveis, o presidente considera que ter a EDPR cotada é “positivo”.

Stilwell: EDP vai anunciar no primeiro trimestre novo plano estratégico até 2025

Eleito pelos acionistas esta manhã como CEO para o triénio 2021-2023, Miguel Stilwell de Andrade disse que o novo plano irá ser apresentado no final de fevereiro ou início de março. “Estaremos muito focados em continuar a acelerar o crescimento da EDP a nível internacional, sem esquecer obviamente a matriz portuguesa”, sublinhou.

Oficial. Acionistas elegem Miguel Stilwell para liderar EDP até 2023

Miguel Stilwell de Andrade vai liderar a maior empresa da bolsa de Lisboa nos próximos três exercícios. Há 20 anos na elétrica, os acionistas escolheram um gestor da casa e português para suceder à liderança de 15 anos de António Mexia.

Miguel Stilwell vai ganhar o mesmo que Mexia até à próxima assembleia geral da EDP

O novo conselho de administração executivo do grupo EDP vai manter os mesmos salários até 14 de abril de 2021, quando tiver lugar a assembleia geral anual de acionistas.

Catroga sobre liderança de Stilwell: “A nova equipa vai continuar a construir estratégias de sucesso na EDP”

A nova comissão executiva da EDP vai ser hoje votada pelos acionistas da EDP com a difícil tarefa de substituir António Mexia ao leme da maior empresa da bolsa de Lisboa. Para o antigo ‘chairman’ da EDP, Eduardo Catroga, a “EDP vai conseguir continuar a responder aos desafios que serão permanentes neste sector”.
Recomendadas

PremiumImparidades de 841,2 milhões de euros tiram 300 milhões ao lucro do BCP

O BCP teve lucros de 183 milhões de euros, menos 39,4% do que em 2019, graças às provisões de 841,2 milhões de euros no contexto Covid-19. Polónia e Fundos de Restruturação impactaram nas contas.

1.886 tripulantes da TAP votaram ‘sim’. Acordo de emergência fica aprovado no SNPVAC

A esmagadora maioria dos tripulantes da TAP representados pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil votou favoravelmente o “Acordo de Emergência”, virando a página num processo negocial que tem sido longo para os trabalhadores do Grupo TAP, mas que salvaguardou algumas regalias laborais.

TAP. Pilotos do SPAC aceitam “acordo de emergência”

Com uma participação massiva de 96,8% dos associados do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), foi votado o “Sim” ao “acordo de emergência” estabelecido com a administração da TAP, com uma maioria de 617 votos. O regime sucedâneo é afastado para os pilotos, que vêm o ordenado ser cortado em 50% acima do valor de garantia de 1.330 euros mensais.
Comentários