Efacec assume compromissos internacionais de descarbonização

A empresa acaba de assinar a Carta de Compromisso ‘Business Ambition for 1.5ºC’, uma ação liderada pela United Nations Global Compact, a maior iniciativa de sustentabilidade do mundo dirigida ao meio empresarial.

A Efacec assumiu esta semana diversos compromissos internacionais no domínio da sustentabilidade e da participação na descarbonização, promovidos pelas Nações Unidas e pelo The Climate Group, respetivamente.

“Unir esforços para limitar o aquecimento global e promover a transição para a mobilidade elétrica são objetivos centrais da adesão a estas iniciativas”, garante a empresa, em comunicado.

Em pirmeiro lugar, o ‘Business Ambition for 1.5ºC’, compromisso das Nações Unidas que pretende congregar esforços de empresas para limitar o aquecimento global a 1.5ºC.

“A Efacec acaba de assinar a Carta de Compromisso ‘Business Ambition for 1.5ºC’, uma ação liderada pela United Nations Global Compact, a maior iniciativa de sustentabilidade do mundo dirigida ao meio empresarial”, destaca o referido comunicado.

O mesmo documento acrescenta que, “ao aderir à ‘Business Ambition for 1.5ºC’, a Efacec compromete-se a estabelecer metas climáticas nas suas operações e cadeias de valor alinhadas com a ambição de limitar o aquecimento global a 1.5ºC acima dos níveis pré-industriais”.

“Este compromisso passa por reduzir em metade as emissões de gases de efeito estufa até 2030 e alcançar as zero emissões líquidas até 2050. As metas que a Efacec vai implementar serão suportadas e validadas pela SBTi (Science Based Targets) e serão alvo de monitorização constante”, assegura o referido comunicado.

De acordo com este documento, “com este compromisso, a Efacec junta-se ao grupo das empresas mais ambiciosas que já integram este compromisso no esforço de combate às alterações climáticas”.

“As novas metas vão exigir a implementação de tecnologias inovadoras e desenvolvimento de processo de negócio com vista a uma maior eficiência carbónica. Além disso, a colaboração entre as empresas será fundamental para otimizar as cadeias de valor”, assinalam os responsáveis da Efacec.

“A preservação ambiental tem de ser um desígnio comum a todos, sejam entidades públicas ou privadas. Não existe tempo a perder para minimizar os efeitos das alterações climáticas. É preciso unir esforços e desenvolver boas práticas”, defende Ângelo Ramalho, CEO da Efacec.

O mesmo responsável sublinha que “é por isso que a Efacec deu um novo passo enquanto empresa de referência nacional e internacional e deu o exemplo, aderindo a uma iniciativa de peso internacional e comprometendo-se a dar o seu contributo para a descarbonização da economia”.

“É com passos concretos e convictos que as empresas podem fazer a diferença na sociedade”, conclui Ângelo Ramalho.

A Efacec aderiu também ao EV100, iniciativa promovida pelo The Climate Group, comprometendo-se a converter a sua frota para veículos elétricos até 2030 e, simultaneamente, fornecer pontos de carregamento aos seus colaboradores.

“Esta iniciativa é também um passo fundamental para evitar o aumento de temperatura de 1.5ºC e atingir a neutralidade carbónica. Para além de reduzir as emissões diretas, este compromisso vai incentivar a transição para veículos elétricos por parte dos colaboradores”, defende a empresa.

Os responsáveis da Efacec relembram que “o EV100 é uma iniciativa global que reúne empresas focadas em acelerar a transição para veículos elétricos”, acrescentando que “a Efacec reforça assim as suas prioridades ao nível da sustentabilidade”.

“A empresa compromete-se a converter a sua frota automóvel para veículos elétricos até 2030, apoiando e incentivando os seus colaboradores a adotarem a mobilidade elétrica ao instalar pontos de carregamento nas suas duas principais unidades industriais”, adianta o referido comunicado.

“Com as previsões a estimarem que, até 2050, 70% da população mundial viverá em áreas urbanas, é essencial criar cidades mais inteligentes e soluções de mobilidade sustentáveis. Desenvolvemos soluções inovadoras de carregamento rápido e ultrarrápido, alavancadas pela nossa plataforma de gestão Smart Digital eMobility”, salienta a nota informativa da Efacec.

Segundo este comunicado, “ao estarmos na vanguarda da inovação tecnológica, a Efacec está a contribuir para alcançar a neutralidade carbónica nas suas operações e com os seus parceiros, como a equipa de Fórmula E DS Techeetah”.

“Estamos orgulhosos de ser o primeiro fabricante europeu de carregadores para veículos elétricos a aderir ao EV100 e por este ser mais um passo para, em conjunto, procurarmos atingir o sonho da eletrificação da mobilidade”, afirma Ângelo Ramalho, CEO da Efacec.

Já Sandra Roling, diretora do EV100, realça que “estamos entusiasmados em receber a Efacec como o 60.º membro do EV100”.

“Ao aderir a esta plataforma de liderança internacional, a Efacec demonstra o seu compromisso com o transporte elétrico, não só através da tecnologia de carregamento que desenvolve mas também nas suas próprias operações. Esperamos que o seu exemplo inspire muitas mais empresas a se juntarem a nós, não só de Portugal mas de todo o mundo”, prevê esta responsável.

A Efecec relembra que “o incentivo para a adoção da mobilidade elétrica já faz parte da rotina” da empresa.

“Para além de oferecer às suas equipas condições preferenciais para a aquisição de ‘home chargers’ para veículos elétricos, a Efacec já equipou as suas unidades industriais com pontos de carregamento. Enquanto líder na produção de soluções de carregamento para veículos elétricos, a Efacec contribui para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definidos pela Agenda 2030 das Nações Unidas, através do desenvolvimento de soluções sustentáveis e implementando ações que tornem um futuro eletrificado, cada vez mais real e próximo”, observa o referido comunicado.

O mesmo documento frisa que, “de acordo com o The Climate Group, o setor dos transportes é aquele que de forma mais significativa contribui para a mudança climática, correspondendo a 23% das emissões de gases de efeito de estufa a nível global”.

“O transporte elétrico constitui uma solução para cortar milhões de toneladas de emissões de gases de efeito de estufa por ano, ao mesmo tempo que reduz a poluição do ar e o ruído relacionados com o transporte”, advogam os responsáveis da Efacec.

“Dado que mais de metade de todos os veículos recém-registados em circulação estão em nome de empresas, é natural que estas liderem esta mudança, seja através de investimento direto como por influência junto de milhões de funcionários e/ou clientes espalhados pelo mundo, para adotarem veículos elétricos. Ao definirem os seus futuros processos de compra de veículos elétricos num intervalo de tempo ambicioso, as empresas podem impulsionar a implantação em massa e tornar os carros elétricos mais rapidamente acessíveis a todos um pouco por todo o mundo”, explicam os responsáveis da Efacec.

 

Ler mais
Recomendadas

Estas são as sugestões dos gestores de marketing para impulsionar a marca Portugal

O ‘think-thank’ Portugal Agora desafiou quatro gestores de Comunicação e Marketing a apresentar medidas para divulgar o país enquanto produto/marca. “Basta tirar peso e dar suporte às empresas para que possamos atrair talento e ideias. Já existem coisas soltas, mas é preciso juntar as várias peças e criar um espaço onde se reúna tudo: uma espécie de Alentejo tecnológico”, defendeu o responsável da Novabase.

Linha gratuita da Anacom de apoio à migração da rede TDT arranca hoje

A partir desta sexta-feira, qualquer utilizador da TDT pode ligar gratuitamente para o 800 102 002 e tirar dúvidas sobre o processo de libertação da faixa dos 700 Mhz, para dar lugar à quinta geração móvel (5G).

Regras da EBA sobre divulgação de malparado para bancos pequenos entram em vigor a 31 de dezembro

“O Conselho de Administração do Banco de Portugal aprovou a Instrução n.º 20/2019 que introduz no quadro normativo nacional as Orientações da Autoridade Bancária Europeia (EBA) sobre a divulgação de exposições não produtivas e exposições reestruturadas por parte das instituições de crédito menos significativas”, anuncia o supervisor bancário nacional.
Comentários