Efacec desmente congelamento de contas

Em comunicado oficial, o grupo recordar que a Efacec e os seus acionistas são entidades diversas e que nenhuma das suas contas abertas em várias geografias foi afetada seja de que forma for.

No seguimento das notícias publicadas relativas ao congelamento das contas bancárias da empresária Isabel dos Santos em Portugal, o conselho de administração da Efacec Power Solutions veio esclarecer que “a A Efacec e os seus acionistas são entidades distintas. Deste modo, as contas da Efacec não foram congeladas, nem em Portugal, nem em qualquer outro país onde a empresa opera”.

Em comunicado oficial, o grupo onde Isabel dos Santos é ainda a accionista principal, com cerca de 67% das ações afirma que “qualquer informação que indique o contrário a esta realidade é falsa”

“A empresa está a operar a todos os níveis, continuando a desenvolver e a participar em projetos nas áreas da energia, ambiente e mobilidade, mantendo a confiança de centenas de clientes e fornecedores em todo o mundo”, refere o documento, para enfatizar que a turbulência provocada pelas investigações em torno da sua acionista não estão a afetar a laboração da empresa.

O comunicado diz ainda que “o conselho de administração da Efacec Power Solutions gostaria de aproveitar esta oportunidade para sublinhar e expressar o seu agradecimento pelo apoio fundamental que tem recebido por parte dos seus clientes, fornecedores, instituições bancárias e colaboradores, nesta fase de transição da empresa”.

Por fase de transição, a Efacec protende referir-se ao facto de a posição de Isabel dos Santos estar neste momento à venda, havendo notícias, não confirmadas, do interesse de vários grupos sobre a empresa.

“Por fim, o conselho de administração da Efacec Power Solutions lamenta que este tipo de informação, que não é verdadeira e que nada tem que ver com as contas ou as operações da empresa, seja disseminada, causando sérios danos à reputação da marca Efacec, construída ao longo dos seus 72 anos de existência”, conclui o comunicado.

Ler mais
Recomendadas

PremiumIsraelitas já têm planos para mais hotéis em Lisboa

O grupo Fattal vai abrir um hotel de quatro estrelas na baixa de Lisboa em 2022, num investimento de 20 milhões. A companhia detém 200 hotéis e procura mais oportunidades em Lisboa, Porto, Estoril e Algarve.

PremiumPortugueses dominam negócio milionário dos transplantes capilares

Alta tecnologia e investigação científica promovida por Paulo Ramos, associado aos fundos Vallis-Hermes e a CR7, permitiu criar rede que fatura milhões.

PremiumJerónimo Martins vai investir até 750 milhões para ter mais 290 lojas em 2020

Ara, na Colômbia, vai ter mais 130 lojas, e Biedronka, na Polónia, mais 100. Em Portugal, o Pingo Doce vai apostar num novo conceito de loja.
Comentários