Efacec vai construir e operar a maior central solar de Moçambique

A central localizada no norte de Moçambique deverá entrar em produção até ao final deste ano.

A Efacec vai construir e operar a maior central solar fotovoltaica em Moçambique, anunciou a empresa esta quarta-feira, 15 de janeiro.

O contrato diz respeito à construção, operação e manutenção de uma central solar com 41 megawatts (MW), situada em Metoro no norte de Moçambique.

A central deverá entrar em produção até ao final deste ano, e vai ter a capacidade de produzir 68 gigawatts hora (GWh) por ano. A energia produzida vai ser vendida por através de um contrato de compra de energia (PPA) contratado com a empresa Eletricidade de Moçambique (EDM). O país tem como objetivo dar acesso a energia à totalidade da sua população até 2030.

“Será a central de energia solar de maior capacidade instalada em Moçambique até à data e um projeto emblemático para a Efacec, que opera em Moçambique há mais de 20 anos, reforçando assim a presença no mercado e na região”, pode-se ler no comunicado da empresa.

A companhia portuguesa tem 300 MW instalados em todo o mundo.

 

Ler mais
Recomendadas

British Airways anuncia suspensão de todos os voos para a China

As companhias aéreas Lion Air, Cathay Pacific, Asiana, Jeju Air, Jin Air e Air Seoul também já anunciaram suspensão ou cancelamento de voos para território chinês por causa do coronavírus, que já matou 132 pessoas.

Santander lucra 6,5 mil milhões em 2019, menos 17% que em 2018

O banco espanhol apresentou resultados a caírem por causa dos custos extraordinários com a operação que tem no Reino Unido. Mas em Espanha os lucros subiram. O Santander Totta, em Portugal, contribuiu com 525 milhões de euros para o resultado líquido.

Já arrancou a assembleia de acionistas da Cofina para votar compra da TVI

Os acionistas da dona do Correio da Manhã vão votar a compra da TVI e um aumento de capital no valor de 85 milhões de euros para financiar a compra da Media Capital. Assembleia da Cofina tem início depois de os acionistas da Prisa já terem dado luz verde à venda da TVI.
Comentários