El Confidencial: Galp apresentou proposta por empresa espanhola de energias renováveis

A Zero-E pertence à ACS que é detida pelo presidente do Real Madrid, Florentino Perez. Vários fundos internacionais também estão na corrida à companhia de energias renováveis. Interesse da Galp surge depois de ter vendido a sua carteira de ativos e de clientes de gás petróleo liquefeito em Espanha aos holandeses da SHV Energy.

A Galp apresentou uma proposta por uma empresa espanhola de energias renováveis, a Zero-E, avança o El Confidencial esta terça-feira.

Segundo o jornal espanhol, a petrolífera portuguesa apresentou uma das oferta mais elevadas pela empresa detida pela ACS, propriedade do presidente do Real Madrid, Florentino Perez.

A Zero-E está a ser disputada também pelos fundos Brookfield, Macquarie, KKR, os suecos da EQT, os fundos de pensões canadianos Commission de la Construction du Québec (CCQ) e Canadian Pension Plan Investment Board (CPPIB), assim como a chinesa China Railway Group, segundo o El Confidencial.

Já a Bloomberg também coloca a chinesa Shanghai Electric na corrida.

A Zero-E conta com 1.100 megawatts (MW) de ativos solares fotovoltaicos, 400 MW de energia eólica, 150 MW de termosolar e 20 MW de centrais hídricas. A empresa está valorizada em 2.000 milhões de euros incluindo dívida.

A Galp está presente no mercado espanhol de combustíveis, mas não nas energias renováveis. Do lado de lá da fronteira conta com 600 postos de combustível, faturando quase 6.000 milhões de euros, segundo os dados do El Confidencial.

Este interesse na companhia de energias renováveis surge depois da Galp ter vendido a sua carteira de ativos e de cliente de gás petróleo liquefeito (GPL) a granel e canalizado em Espanha à Primagas, conforme avançou a agência Efe citando fontes da Primagas, detida pelos holandeses da SHV Energy, sem avançar valores para o negócio.

 

Ler mais
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários