F1. Eleven Sports diz ter ganho mais subscritores com cobertura “sem precedentes” do Grande Prémio de Portugal

“O regresso da F1 a Portugal foi absolutamente histórico e não podíamos estar mais gratos por ter feito parte deste acontecimento. Apesar das normas impostas pela pandemia, que foram de facto desafiantes, preparámos uma operação sem precedentes”, contou gestor da Eleven Sports Portugal ao JE.

Foto cedida | Jorge Pavão de Sousa, diretor geral da Eleven Sports Portugal

Os direitos de transmissão televisiva da Fórmula 1 em Portugal estão nas mãos da Eleven Sports, que com a realização de um Grande Prémio em Portugal diz ter registado um crescimento no número de subscritores, segundo declarações do managing director da Eleven Sports Portugal, Jorge Pavão de Sousa, ao Jornal Económico. Contudo, o gestor não revelou números sobre o crescimento propalado.

“Nestes últimos dias verificámos um aumento no número de subscrições”, disse o gestor, salientando que acredita que esse crescimento se deve ao trabalho da operadora de conteúdos desportivos em televisão durante a cobertura do Grande Prémio de Portugal. “Mas também se deve ao regresso da Champions League, que é transmitida apenas na Eleven Sports.

Mas o foco nos últimos dias foi a Fórmula 1, que voltou a passar por Portugal ao fim de 24 anos e cuja transmissão foi assegurada pela Eleven Sports, entre os dias 23 e 25 de outubro.

“O regresso da F1 a Portugal foi absolutamente histórico e não podíamos estar mais gratos por ter feito parte deste acontecimento. Apesar das normas impostas pela pandemia, que foram de facto desafiantes, preparámos uma operação sem precedentes”, contou Jorge Pavão de Sousa.

Em Portugal, a Eleven Sports já transmitia todas as provas da F1, tendo um canal exclusivo para a modalidade. Mas o regresso do ‘grande circo’ ao país obrigou a uma outra preparação para cobrir o Grande Prémio que se realizou no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

A cobertura de todos os passos da prova em Portugal foi o culminar de “um trabalho de mais de 2 meses com várias visitas técnicas e diversas reuniões com todos os intervenientes”, tendo a Eleven Sports reunido uma equipa de 40 pessoas que trabalhou “em exclusivo” na transmissão televisiva do GP de Portugal. Dessas 40 pessoas, 35 estiveram a trabalhar a partir de Portimão para garantir a emissão.

Jorge Pavão de Sousa garantiu que a cobertura da prova foi bem sucedida, até pelo “envolvimento de parceiros nacionais e internacionais – wTVision e Telefónica”. “Mas o segredo para a preparação de uma cobertura televisiva desta dimensão é sem dúvida o conhecimento que temos do produto”, disse.

O gestor garantiu que a Eleven Sports conseguiu continuamente assegurar “20h de emissão de quinta-feira a domingo”, a partir de Portugal, incluindo testemunhos dos pilotos de Fórmula 1, imagens das movimentações no Paddock e streaming nas redes sociais da operadora de conteúdos desportivos.

“A Fórmula 1 é sem dúvida uma grande aposta do nosso canal, sendo a segunda modalidade mais vista do nosso portefólio total de produtos, e o facto de uma competição desta dimensão ter regressado a Portugal deu-nos outro entusiasmo”, afirmou o managing director da Eleven Sports Portugal.

Uma das novidades que a cobertura da F1 em Portugal trouxe foi uma parceria entre a Eleven Sports e a NOS, que levou para as salas de cinema da NOS a transmissão da corrida.

Questionado sobre a possibilidade de tornar esta novidade numa aposta permanente, o gestor explicou que o mesmo já tinha sido feito aquando da cobertura da Liga dos Campeões. “Tudo dependerá do evoluir da pandemia, mas é claramente uma opção em cima da mesa para continuarmos, em parceria com a NOS, a oferecer experiências de visualização únicas aos fãs das modalidades”.

Ler mais
Recomendadas

Web Summit. Tóquio2020 vão ser os primeiros Jogos da 4.ª revolução industrial, realça COI

Com medalhas feitas com material eletrónico reciclado, veículos sem condutor com zero emissões poluentes, a rede de quinta geração (5G), a realidade aumentada e a robótica, Tóquio2020 vai “exibir universalidade, sustentabilidade e tecnologia”, e dará uma “mensagem de esperança e resiliência” ao mundo”, assinalou Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), na Web Summit.

UEFA estima perdas de receitas entre seis e 8,5 mil milhões de euros para 2020 e 2021

Andrea Traverso, diretor financeiro do órgão que tutela o futebol europeu deixa ainda o aviso aos principais clubes europeus. “Não podem continuar a pagar os mesmos salários que pagavam antes da pandemia, porque as receitas caíram abruptamente”.

Clubes-Empresa: que ameaças e oportunidades representam? Veja o “Jogo Económico”

Que ameaças e oportunidades se colocam estes investimentos, sobretudo num contexto de crise económica? Este vai ser um dos temas do programa “Jogo Económico”, da plataforma JE TV, desta semana.
Comentários