Emissão de dívida da SIC passa para 51 milhões de euros

Em comunicado enviado à CMVM, o canal de televisão do grupo Impresa adianta que não vai “requerer outra adenda ao prospeto para aumentar o valor nominal.

A SIC anunciou esta sexta-feira, após o fecho do mercado, que fez uma alteração ao prospeto da emissão de dívida anunciada na semana passada – “Obrigações SIC 2019-2022” -, aumentando o montante de 30 milhões de euros para 51 milhões de euros devido à elevada procura. Até quarta-feira os investidores já tinham dado ordens de compra correspondentes a 86,5 milhões de euros.

“Embora pudesse tomar essa decisão até ao dia 28 de junho de 2019, inclusive, decidiu, na presente data, aumentar o número máximo de «Obrigações SIC 2019-2022» objeto da oferta à qual se refere o prospeto de oferta pública e de admissão à negociação no mercado regulamentado pela Euronext Lisbon”, refere a estação televisiva do grupo Impresa.

Quem são as quatro estrelas da SIC que promovem a venda de obrigações aos pequenos investidores?

A operação destina-se ao público em geral e o período de subscrição termina a 4 de julho. Em comunicado enviado esta tarde à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o canal de Paço d’Arcos adianta também que não vai requerer outra adenda ao prospeto do empréstimo obrigacionista para aumentar o valor nominal global para mais de 51 milhões de euros.

Cada investidor pode dar uma ordem de subscrição para o valor que pretende subscrever, desde que não exceda o montante máximo das «Obrigações SIC 2019-2022» oferecidas à subscrição, ou seja, 51 milhões de euros. Porém, uma vez que as obrigações a emitir para satisfazer ordens de subscrição terão o valor nominal global de até 51 milhões de euros, as ordens de subscrição a satisfazer estarão sujeitas aos critérios de rateio aplicáveis, caso a procura seja superior à oferta, e limitadas pela emissão das «0brigações SIC 2019-2022 disponíveis até ao respetivo valor nominal global.”.

A SIC lançou a 11 de junho uma oferta pública de subscrição de obrigações (OPS) para o retalho com o objetivo de captar 30 milhões de euros, através de um milhão de títulos, cada um com um valor nominal de 30 euros e uma maturidade de três anos. O objetivo desta emissão de dívida é “diversificar as fontes de financiamento e alargar a maturidade média da dívida”.

O canal de televisão entrou desta forma no mercado para atrair investidores particulares para se financiar numa emissão de obrigações até 2022. Segundo o prospeto inicial da OPS, a taxa de juro fixa bruta que a SIC oferece é de 4,5%, contando que os juros serão pagos a cada seis meses e com desembolsos a 10 de janeiro e a 10 de julho de cada ano.

Notícia atualizada às 18h27

Ler mais

Recomendadas

Prémios ‘Grandes Escolhas’ elegeram os melhores vinhos nacionais de 2019

A entrega destes 30 prémios decorreu, num jantar em Sangalhos, Anadia, numa cerimónia que pretendeu reconhecer os grandes protagonistas do mundo da enologia e da gastronomia nacionais.

SunEnergy instala 345 painéis solares nos Armazéns Reis de Aveiro

Este contrato de autoconsumo com os Armazéns Reis, empresa que se dedica ao comércio e distribuição de materiais de construção, ‘bricolage’, decoração e jardim, vai permitir uma poupança de 15 mil euros em energia, todos os anos.

Secil com expetativas positivas para 2020 no setor do cimento

De acordo com as estatísticas, o mercado de cimentos em Portugal em 2019 terá crescido cerca de 15% comparativamente ao período homólogo.
Comentários