Emissão de dívida da SIC passa para 51 milhões de euros

Em comunicado enviado à CMVM, o canal de televisão do grupo Impresa adianta que não vai “requerer outra adenda ao prospeto para aumentar o valor nominal.

A SIC anunciou esta sexta-feira, após o fecho do mercado, que fez uma alteração ao prospeto da emissão de dívida anunciada na semana passada – “Obrigações SIC 2019-2022” -, aumentando o montante de 30 milhões de euros para 51 milhões de euros devido à elevada procura. Até quarta-feira os investidores já tinham dado ordens de compra correspondentes a 86,5 milhões de euros.

“Embora pudesse tomar essa decisão até ao dia 28 de junho de 2019, inclusive, decidiu, na presente data, aumentar o número máximo de «Obrigações SIC 2019-2022» objeto da oferta à qual se refere o prospeto de oferta pública e de admissão à negociação no mercado regulamentado pela Euronext Lisbon”, refere a estação televisiva do grupo Impresa.

Quem são as quatro estrelas da SIC que promovem a venda de obrigações aos pequenos investidores?

A operação destina-se ao público em geral e o período de subscrição termina a 4 de julho. Em comunicado enviado esta tarde à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o canal de Paço d’Arcos adianta também que não vai requerer outra adenda ao prospeto do empréstimo obrigacionista para aumentar o valor nominal global para mais de 51 milhões de euros.

Cada investidor pode dar uma ordem de subscrição para o valor que pretende subscrever, desde que não exceda o montante máximo das «Obrigações SIC 2019-2022» oferecidas à subscrição, ou seja, 51 milhões de euros. Porém, uma vez que as obrigações a emitir para satisfazer ordens de subscrição terão o valor nominal global de até 51 milhões de euros, as ordens de subscrição a satisfazer estarão sujeitas aos critérios de rateio aplicáveis, caso a procura seja superior à oferta, e limitadas pela emissão das «0brigações SIC 2019-2022 disponíveis até ao respetivo valor nominal global.”.

A SIC lançou a 11 de junho uma oferta pública de subscrição de obrigações (OPS) para o retalho com o objetivo de captar 30 milhões de euros, através de um milhão de títulos, cada um com um valor nominal de 30 euros e uma maturidade de três anos. O objetivo desta emissão de dívida é “diversificar as fontes de financiamento e alargar a maturidade média da dívida”.

O canal de televisão entrou desta forma no mercado para atrair investidores particulares para se financiar numa emissão de obrigações até 2022. Segundo o prospeto inicial da OPS, a taxa de juro fixa bruta que a SIC oferece é de 4,5%, contando que os juros serão pagos a cada seis meses e com desembolsos a 10 de janeiro e a 10 de julho de cada ano.

Notícia atualizada às 18h27

Ler mais

Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários