Emissões de gases poluentes recuam na UE e em Portugal

Entre 1990 e 2017, as emissões de óxido de enxofre (SOx) na UE passaram de 5,42 mil toneladas para 2,3 mil toneladas, com Portugal a apresentar uma redução acima da média europeia.

As emissões dos gases mais poluentes baixaram entre 1990 e 2017 na União Europeia (UE) e em Portugal, com destaque para o óxido de enxofre (SOx), que registou uma quebra para cerca de metade, segundo o Eurostat.

De acordo com dados divulgados esta segunda-feira pelo gabinete estatístico europeu, entre 1990 e 2017, as emissões de óxido de enxofre (SOx) na UE passaram de 5,42 mil toneladas para 2,3 mil toneladas, com Portugal a apresentar uma redução acima da média europeia: de 108 mil toneladas para 47 mil toneladas.

No que respeita ao óxido de nitrogénio (NOx), na UE as emissões desceram de 10,5 mil toneladas em 1990 para 7,5 mil toneladas em 2017, tendo Portugal acompanhado a tendência em baixa (de 220 mil toneladas para 159 mil).

A menor quebra na média da UE registou-se nas emissões de amoníaco (NH3), de 3,976 mil toneladas para 3,953 mil toneladas, com Portugal a registar uma baixa de 60 mil toneladas para 57 mil toneladas.

Recomendadas

Fim de semana terá chuva e descida das temperaturas

“Devido à passagem de uma superfície frontal fria, no domingo vamos ter chuva e uma descida da temperatura de 3 a 6 graus”, refere o IPMA.

Água nas barragens algarvias dá para abastecer região até final do ano

Empresa responsável pela gestão do sistema municipal do abastecimento de água nos 16 municípios da região indicou que não existem “zonas críticas” de abastecimento às populações, já que a estação elevatória reversível de Loulé permite a “transferência de água de barlavento para sotavento e vice-versa”.

Vítor Gaspar alerta: “Aquecimento global tornou-se uma ameaça clara e presente”

“O aquecimento global tornou-se uma ameaça clara e presente. Ações e compromissos assumidos até agora foram insuficientes. Quanto mais esperarmos, maior a perda de vida e maiores os danos para a economia mundial”, pode ler-se no início do artigo.
Comentários