Empresa de podcasts Acast recebe financiamento de 25 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento

O financiamento de ‘quase-capital’ do BEI tem as características de uma participação no capital da empresa, embora o BEI não passe a deter ações da Acast.

O Banco Europeu de Investimento (BEI) assinou esta terça-feira, 27 de agosto, um acordo de financiamento, no valor de 25 milhões de euros de ‘quase-capital’, com a empresa de podcasts Acast. De acordo com a Comissão Europeia, este financiamento serve para “expandir as atividades de investigação e desenvolvimento e continuar a desenvolver a sua plataforma de distribuição de conteúdos áudio”.

O investimento do BEI está enquadrado no Plano Juncker, que foi criado com o objetivo de “eliminar obstáculos ao investimento, garantir a visibilidade e a assistência técnica dos projetos de investimento e utilizar de forma mais eficiente e inteligente os recursos financeiros”.

O financiamento de ‘quase-capital’ do BEI tem as características de uma participação no capital da empresa, embora o BEI não passe a deter ações da Acast.

Além de podcasts independentes, a empresa Acast também trata de conteúdos áudio de grandes nomes da imprensa internacional, como o Financial Times, The Guardian, Vogue, Aftonbladet e Billboard. A Acast pretende utilizar o financiamento para expandir as atividades de pesquisa e desenvolvimento, além de desenvolver a plataforma de distribuição de conteúdo de áudio.

A empresa foi fundada em 2014 e está sediada na Suécia, além de os seus serviços estarem disponíveis em dez países. Uma parte do investimento irá apoiar a expansão do mercado internacional.

Relacionadas

CGD e Fundo Europeu de Investimento assinam nova linha de 200 milhões para as empresas

No âmbito deste programa COSME, a CGD lança uma nova linha de crédito de 200 milhões de euros, com garantias mais competitivas, para apoiar as empresas em Portugal.”O acordo beneficia do apoio do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), a base do Plano de Investimento para a Europa, o Plano Juncker”, diz a Caixa.
Recomendadas

BPI permite moratória nos créditos não abrangidos por lei do Governo

O banco permite ainda que os clientes com crédito pessoal e ao financiamento automóvel tenham carência de capital de seis meses.

Transportes de mercadorias apelam a mais medidas do Governo para apoio ao setor

A clarificação das linhas de crédito para as empresas transitárias e o pagamento dos direitos junto da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT); a injeção direta de capital nas empresas; e a articulação conjunta para conseguir fazer chegar a Portugal o equipamento médico proveniente de outros países, abrindo, para isso, ligações aéreas em cargueiros ou aviões de passageiros exclusivamente com carga são algumas das medidas reivindicadas pela APAT – Associação dos Transitários de Portugal.

Doinn, a startup que sente na pele a queda dos negócios do turismo e limpeza

“Estamos atentos às medidas de apoio anunciadas pelo Gverno apesar de, até agora, não termos ficado impressionados com elas. Não nos adianta muito adiar as obrigações como IVA ou TSU para o segundo semestre se os respetivos pagamentos coincidirão com a época baixa”, disse ao Jornal Económico Weronika Figueiredo, cofundadora da empresa.
Comentários