Empresas de Software Open Source premeiam IGFEJ

A ESOP – Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas entregou o Prémio Abertura 2018, um galardão anual que visa distinguir “as entidades que contribuem para a dinamização do software Open Source e Tecnologias Abertas em Portugal”, ao Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça.

A ESOP – Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas – já entregou o Prémio Abertura 2018, um galardão anual que visa distinguir “as entidades que contribuem para a dinamização do software Open Source e Tecnologias Abertas em Portugal”. O vencedor deste ano, o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ), foi anunciado pelo vice-presidente da ESOP, Paulo Ribeiro, na 16ª edição do Open Source Lisbon que decorreu na Cidade do Futebol.

O prémio foi entregue ao presidente do conselho diretivo do IGFEJ, Joaquim Carlos Rodrigues po Cândido Mariz, em representação do Município de Barcelos, entidade distinguida no ano passado.

De acordo com o presidente do Instituto, “o IGFEJ agradece este prémio à ESOP, partilhando-o com o nosso parceiro Caixa Mágica e dedicando-o aos colaboradores das nossas organizações que tudo têm feito para elevar o patamar da transformação digital e dos serviços online na área da Justiça”.

Desenvolvido pela Caixa Mágica Software, uma associada ESOP, o projeto Certidão Judicial Electrónica (CJE) teve início em 2017, com o objetivo de criar um portal onde os utilizadores possam solicitar e emitir certidões referentes a declarações online acerca dos seus processos judiciais. Antes, para se obter esta certidão, era necessário que o cidadão se deslocasse a um tribunal, fizesse um requerimento formal por escrito e esperasse que o mesmo desse seguimento. O projecto foi realizado usando as tecnologias Java, Apache, Tomcat e Web Services REST.

Além do IGFEJ, estavam também nomeados pelos associados ESOP o Ministério Público e o Ministério das Finanças, este último por via do projecto UniLEO (Unidade de Implementação da Lei de Enquadramento Orçamental).

PCGuia
Recomendadas

Dados da ‘fintech’ do grupo Alibaba vão ser integrados no banco central chinês

A imprensa chinesa informou anteriormente que muitos dos utilizadores do serviço de pagamento receberam um aviso através da aplicação móvel, instando-os a aceitar os novos termos de utilizador, que incluem partilhar as suas informações de crédito com o Banco Popular da China (banco central).

Plano de recuperação da Groundforce vai avançar

A elaboração do plano fica a cargo dos dois administradores de insolvência, Pedro Pidwell e Bruno Costa Pereira, que vão receber uma remuneração de 25 mil euros cada um para executar a tarefa.

Credores da Groundforce aprovam por unanimidade manutenção da atividade da empresa

Na assembleia desta quarta-feira estavam representados 2.041 credores, cujos créditos ascendem a 137 milhões de euros.
Comentários