Empresas de Software Open Source premeiam IGFEJ

A ESOP – Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas entregou o Prémio Abertura 2018, um galardão anual que visa distinguir “as entidades que contribuem para a dinamização do software Open Source e Tecnologias Abertas em Portugal”, ao Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça.

A ESOP – Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas – já entregou o Prémio Abertura 2018, um galardão anual que visa distinguir “as entidades que contribuem para a dinamização do software Open Source e Tecnologias Abertas em Portugal”. O vencedor deste ano, o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ), foi anunciado pelo vice-presidente da ESOP, Paulo Ribeiro, na 16ª edição do Open Source Lisbon que decorreu na Cidade do Futebol.

O prémio foi entregue ao presidente do conselho diretivo do IGFEJ, Joaquim Carlos Rodrigues po Cândido Mariz, em representação do Município de Barcelos, entidade distinguida no ano passado.

De acordo com o presidente do Instituto, “o IGFEJ agradece este prémio à ESOP, partilhando-o com o nosso parceiro Caixa Mágica e dedicando-o aos colaboradores das nossas organizações que tudo têm feito para elevar o patamar da transformação digital e dos serviços online na área da Justiça”.

Desenvolvido pela Caixa Mágica Software, uma associada ESOP, o projeto Certidão Judicial Electrónica (CJE) teve início em 2017, com o objetivo de criar um portal onde os utilizadores possam solicitar e emitir certidões referentes a declarações online acerca dos seus processos judiciais. Antes, para se obter esta certidão, era necessário que o cidadão se deslocasse a um tribunal, fizesse um requerimento formal por escrito e esperasse que o mesmo desse seguimento. O projecto foi realizado usando as tecnologias Java, Apache, Tomcat e Web Services REST.

Além do IGFEJ, estavam também nomeados pelos associados ESOP o Ministério Público e o Ministério das Finanças, este último por via do projecto UniLEO (Unidade de Implementação da Lei de Enquadramento Orçamental).

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

BCP emite 450 milhões de dívida subordinada e paga 3,871%

A emissão, no montante de 450 milhões de euros, terá um prazo de 10,5 anos, com opção de reembolso antecipado pelo Millennium BCP no final de 5,5 anos, e uma taxa de juro de 3,871%, ao ano, durante os primeiros 5,5 anos.

Facebook suspende “dezenas de milhares” de aplicações por falhas na privacidade

A sua suspensão “não é necessariamente uma indicação de que as aplicações eram uma ameaça às pessoas”, ressalva a rede social.

TAP regista prejuízos de 120 milhões no primeiro semestre

Quebra nas receitas com o Brasil e aumento de custos de pessoal foram alguns dos motivos que geraram este resultado negativo.
Comentários