Empresas portuguesas apostam cada vez mais no .PT

A presença de uma empresa no digital torna muito mais fácil o reconhecimento e aumento da notoriedade da mesma.

Kacper Pempel/Reuters

A aposta no Digital é cada vez mais notória. Devido ao crescimento da economia, aumento das capacidades tecnológicas dos cidadãos e maior adesão à internet por parte dos mesmos, as próprias empresas portuguesas começaram a criar os seus próprios domínios e a passarem para lá da implementação física do seu negócio.

É bastante importante seguir as tendências do consumidor e por essa mesma razão se tem verificado um acréscimo tão grande do número de empresas a registarem-se em domínios .PT.

Para que uma empresa se possa registar neste domínio, esta tem que consultar a gestão dos sites nacionais que é realizada pela Associação DNS.PT. No ano de 2017, a Associação DNS.PT revelou mais de 100 mil domínios registados, colocando Portugal numa melhor posição digital a nível de negócios. Sendo o nosso país um dos que demonstra menos capacidades tecnológicas, quando em comparação com os restantes da União Europeia, é essencial que este fator seja alterado para que os portugueses possam beneficiar daquilo que a internet pode trazer aos seus negócios.

Para a presidente da Associação DNS.PT “uma empresa que não esteja na internet não existe”. E cada vez mais isto se verifica, visto que os consumidores procuram respostas no momento – é aquilo a que chamamos de satisfação imediata. Para tal, a presença de uma empresa no digital torna muito mais fácil o reconhecimento e aumento da notoriedade da mesma, bem como a aquisição de novos clientes/consumidores.

O registo de cada vez mais domínios demonstra uma promessa no crescimento económico português no futuro. E é precisamente por esse crescimento que a Associação DNS.PT continua a lutar apostando cada vez mais na parte técnica e da privacidade, para garantir às empresas a confiança que precisam para darem o passo para o digital.

A aprendizagem de uma correta utilização dos domínios por parte das empresas é fulcral. É necessário que se crie uma melhor capacitação e utilização da internet em Portugal, não só para as empresas portuguesas, mas para os utilizadores também.

Com o crescimento e adesão de cada vez mais empresas à internet e consequente partilha da sua informação no meio digital, as fontes de informação empresarial conseguem aumentar a quantidade e qualidade de informação, sendo mais fácil a atualização da mesma, além da tomada de conhecimento das empresas que se instalam pela primeira vez num domínio .PT. Deste modo, as empresas portuguesas saem beneficiadas, uma vez que a sua presença online terá maior visibilidade e as informações destas muito mais acessíveis aos particulares ou empresas que fazem prospeção em sites de bases de dados empresariais, potenciando desta forma novas parcerias de negócios.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários